por Alana Morgana

A mulher e o paganismo

Estudar Paganismo é extenso, nos leva a fases remotas da nossa civilização. Desde os primórdios, o ser humano tem contato direto com a natureza porque faz parte dela. Ao entrar em contato direto com os fenômenos vivenciais existentes: trovões, relâmpagos, o brotar de uma água sobre uma fenda de pedra etc., a falta de explicações científicas fazia reportar ao imaginário e criar deuses disso ou daquilo. Mas pensemos, por que não? São forças vivas que crescem e se multiplicam, que se revoltam. Nós somos alimentados pela Terra, Gaya, que nos dá frutos, remédios, alimentos, enfim, nos nutre. Por que nós não somos gratos?

Enfim, voltemos aos deuses. Neste período, as mulheres sempre menstruaram, o que para os homens (e até para elas mesmas) era um mistério. E viam que ela, a mulher, gerava e, por isso mesmo, ela era misteriosa e REVERENCIADA! A Deusa era MULHER! Com o Patriarcalismo, a mulher deixou de ser reverenciada e passou a ficar em segundo plano. Deusas como Hera, se tornaram ciumentas, más. Adão foi enganado por Eva. Lilith passou a ser má e impiedosa. Maria Madalena virou prostituta. Jeová, deus judaico, ficou sozinho reinando e Shekinah, sua esposa, foi renegada, e assim por diante.

Só agora, depois de tantos anos, com a pílula anticoncepcional, que a mulher começou a ter sua independência quando teve seu direito de voto, beber em um bar sozinha sem ser chamada de prostituta, ou fumar, ou cortar os cabelos, ou usar batom vermelho, mini saia - invenção de Mary Quant, e quantas outras conquistas! Temos que falar sobre isso tudo, pois vai nos remeter a deusa! A deusa está em nós e nós estamos nela!

O Paganismo é uma grande força para a mulher, pois ela é vista de uma outra forma, é respeitada e não é julgada dentro dos moldes cristãos, aonde a mulher é subserviente e mal vista. Quantas mulheres sofrem de abusos, maus tratos e a sociedade, e até mesmo as próprias mulheres não as defendem? Chega de autoritarismo masculino!

Devem seguir ambos juntos, cada um em seu papel, sem subserviência. Muito triste ver mulheres que dizem se dar melhor com os homens e discriminam suas próprias parceiras de lutas e sofrimentos. A mulher se cala, se diminui, aceita chacotas e faz chacotas consigo própria! 
Honrar o próprio sexo, enfrentar e lutar por seus direitos fazem parte de sua consciência coletiva partindo para o individual. Sempre que posso escrevo sobre essa temática. Pena que as mulheres mais simples não tenham acesso a internet, para ler os artigos, mas cabe a nós, mulheres, passarmos para as outras a visão consciente de seu papel na sociedade. Ser pagão é uma responsabilidade e ser pagão mulher, mais ainda!

Blessed Be!

Alana Morgana

+ artigos

Alana Morgana, Matriarca e Suma Sacerdotisa da Tradição Athena Pronaia-Coven Corujas Lunares, Taróloga, Cartomante e Terapeuta Holística. Fundadora da Escola de Artes Mágikas Alana Morgana (desde 1984).