por Denise Cabral

Caminhos escolhidos

Você já deve ter passado ou ainda está vivendo uma fase onde os aromas da vida são sempre os mesmos e que o simples ato de levantar da cama, necessita de um grande esforço? Pois é, todos os dias, milhares de pessoas sentem essa mesma falta de um ar renovado, fresco, que mexe por dentro e nos faz olhar pra lados esquecidos de nós.
Quando isso acontece, é como se a vida cantasse pra gente numa voz semitonada, sem acordes e harmonia. Será normal viver assim, desse jeito, sem olhar pra frente e só esperar o mês virar pra jogar fora a folhinha do calendário da geladeira? Claro que não, com todas as letras! E mais, aí dentro de você tem um mundo prontinho pra ser e acontecer, como uma criança que espera outra pra brincar no quintal, inquieta, ansiosa, cheia de brinquedos e novidades.

Você deve estar pensando, como fazer pra se soltar dessas amarras, desse peso extra que te faz respirar até com certa dificuldade, não tenha medo, nada dói mais do que a prisão voluntária de si mesmo.Tudo na vida, tem a importância que nós damos, seja um fato corriqueiro à uma discussão em família. Se hoje, de alguma forma as coisas começam a te incomodar, é sinal de que algo não vai nada bem e que seu mundo começa a gritar aí dentro, pronto para ser restaurado e iniciar uma bela viagem para dentro, para se tornar mais forte, mais uno.

Sabe o que eu estava pensando outro dia? Que tudo depende de quando? Abrimos os olhos da alma, que as coisas podem ser muito difíceis ou quem sabe, leves demais, lidamos o tempo todo com arquétipos, símbolos que mexem com nossa alma e a partir daí, tudo pode acontecer, desde uma paralisante depressão a uma grande mudança de vida.

Conheci uma mulher que foi casada por 25 anos e que havia ficado viúva, ela teve uma infância, adolescência e

 vida adulta, segundo ela, quase perfeita, se não fosse o fato de ser extremamente perfeccionista, e pra ela era bem mais fácil continuar negando algo que iria mexer em comportamentos arraigados, marcados como tatuagem. Com isso foi vivendo todos os dias do mesmo jeito, anulando e se deixando anular, não deixando as coisas acontecerem, sempre manipulando pra que tudo fosse do jeito que ela queria, até que começou a sentir fortes dores nos ossos, procurou um médico e lhe foi pedido alguns exames e detectado uma osteoporose grau III, o que isso significa? Um alto nível de inflexibilidade, rigidez consigo e com os outros, falta de amor.

Nesses meus anos de vida, uma coisa eu aprendi, que no mundo da gente, tem coisas que nunca irão acontecer e o que não pode ser hoje, talvez amanhã já possa ou quem sabe sempre pôde, eu que não sabia! E com isso venho ganhando mais segurança, leveza e jogo de cintura e o medo de abrir as gavetas e janelas, já não me incomoda mais, abro com ele mesmo.

Quando você se sentir sozinho e desmotivado, canta uma música que te faça bem, se não adiantar, cante duas, reveja seus conceitos e se pergunte , realmente vale a pena continuar andando pelas mesmas calçadas e os mesmos caminhos? Se sua resposta for um sincero não, modifique então os cenários e figurinos de sua história e deixe que a vida te surpreenda todos os dias, sem cobranças de acertos ou erros, pois isso inevitavelmente vai acontecer, estamos vivos, mas o caminho fascinante da vida te mostrará, que sempre vai valer a pena... Então, só posso lhe desejar, boa viagem!

 

Denise Cabral

+ artigos

Terapeuta Holística Ayurveda, palestrante e instrutora de Hatha Yoga. Utilizo as seguintes terapias: cromoterapia, florais de Bach, massagem ayurveda com alongamentos, shiatsu; Reikiana iniciada pela Sociedade Brasileira de Reiki, com DRA.