Compartilhar

por Helyete Santos

Apelos à felicidade

Não é preciso pensar para obter uma resposta: quem quer ser feliz? Os apelos são muitos e parece que você pode receber muitas bonificações se fizer exatamente como lhe é mandado. “Tire umas gordurinhas que tudo será lindo”, “Tome uma cápsula ao dia e seu problema estará resolvido”, “Agora você pode sorrir e conquistar um novo amor”, “Suas coxas podem roçar as dele porque não tem celulite”. E quantos apelos mais vão por aí e todos envolvem a sua capacidade de ser feliz apenas com seu físico.

Bem, antes de mais nada, é preciso estabelecer um sério conceito: o físico não determina o futuro! Seu destino, feliz ou infeliz, só depende das suas atitudes: fiéis ou infiéis, ternas ou frias, seguras ou sonsas. Sabemos que se até hoje não conseguimos a tal da felicidade, futuramente ela estará ao nosso alcance, mas isso se fizermos direitinho o que nos é imposto. Inclusive, como álibi para uma conquista segura, a exposição do corpo, que fará registrar aos olhos de quem o vê, uma sensação de conquista plena, segura. Aquela que se diz: “E foram felizes para sempre”. 

Fica, então, a nossa alma apagada e escravizada até que brademos pela nossa liberdade e cuidemos do corpo sem amarras.

A nossa vida não é um reality show. Nosso contrato foi feito com Deus, que é perfeição e sabedoria. 

Compartilhar

Helyete Santos

+ artigos

Sou paulistana. Atualmente, moro na cidade de Santos. Atuei como professora de Redação e tenho vários livros publicados sobre técnicas redacionais, como Pais e Filhos Entre Erros e Acertos Editora Edicon. Escrever traz à tona o modo sensível de se viver.