Compartilhar

por Equipe Horóscopo Virtual

Macumba: História, curiosidades e mutio mais!

O que é macumba?

Para quem não conhece os cultos afro-brasileiros, a palavra “macumba” pode soar negativa e considerada “do mal”. Essas interpretações equivocadas sobre a macumba deram origem ao preconceito e à intolerância religiosa. Mas, afinal, o que é macumba?

Um instrumento, um culto?

“Macumba” é uma palavra originada de uma língua banta, o kimbundu. Diz-se que o termo original se refere a um instrumento musical semelhante ao reco-reco que era utilizado nos cultos afro-brasileiros, como o candomblé e a umbanda. O termo “macumbeiro” refere-se ao indivíduo que tocava esse instrumento.

A história também menciona “macumba” como sendo uma árvore sagrada para os africanos. Por empréstimo, o nome “macumba” acabou sendo atribuído ao próprio culto.

Por causa do preconceito disseminado pela igreja cristã no início do século 20, a macumba acabou por ser associada a rituais satânicos ou de magia negra. Essa discriminação perdura até os dias de hoje, e são frequentes os casos de violência motivada por intolerância religiosa.

Como são os cultos?

Basicamente os cultos de macumba acontecem em terreiros. O ritual envolve cânticos, fumaças à base de ervas (defumadores), orações e danças. Para a incorporação das entidades, é necessário um toque específico do atabaque (instrumento musical de suma importância para as incorporações), com a vibração correta para o médium “receber” o santo.

Macumba existe?

Se nos despirmos da forma discriminatória com que muitas pessoas se referem à macumba, podemos dizer que, sim, macumba existe. Mas nos próprios terreiros de candomblé ou de umbanda trata-se de um ritual com manifestações mediúnicas, e o famoso despacho é nada mais do que uma oferenda a uma divindade, um pedido de ajuda para a solução de alguma causa. Esses despachos dedicados aos santos salvaram as vidas de muitos escravos no passado, pois muitas das oferendas envolvem comida, então serviam de alimento para os que estavam em fuga, buscando sua liberdade.

Algumas pessoas associam a macumba a “trabalhos” para fazer mal a terceiros, mas, além de isso ser possível em qualquer religião, é uma prática condenada pelos próprios terreiros, seja no candomblé, seja na umbanda.

Conheça os perigos dos trabalhos individuais

Simbologia das encruzilhadas

Se você deparar com um despacho em um cruzamento, não se assuste. Para a macumba, a encruzilhada representa o encontro de dois mundos: o material e o espiritual. É um ponto favorito de Exu, entidade que liga os humanos ao mundo dos orixás. No Candomblé, ele é visto como um orixá. Na Umbanda, é considerado um espírito que auxilia nos trabalhos espirituais.

Como desfazer macumba?

É um mito dizer que não dá pra desfazer macumba. Mas é preciso procurar alguém experiente na religião para saber como proceder. Existem várias dicas na internet: como orar, fazer jejum espiritual ou de substâncias nocivas, buscar auxílio para realizar as simpatias que desfazem uma amarração ou tomar banho de descarrego. Mas primeiramente é preciso ter certeza de que alguém fez algum “trabalho” para prejudicar você, qual tipo de trabalho e consultar uma pessoa que entenda muito, pois é ela que vai direcioná-lo a uma solução. Tenha fé e paciência e apegue-se a boas energias. Decerto quem fez esse tipo de ação também desrespeita a própria religião, que não vê com bons olhos trabalhos que podem prejudicar uma pessoa.

A macumba, como você já percebeu, é um conjunto de rituais com uma história muito bonita e cheia de simbologias. Se você quiser saber mais sobre as religiões de matriz africana, pergunte a quem segue cada uma delas, essas pessoas são a fonte correta para você se informar sem preconceitos ou desconfianças. Axé!


Leia também: Preto velho: entenda o poder desta entidade!

Compartilhar

Equipe Horóscopo Virtual

+ artigos

Site esotérico completo que reúne conteúdos como astrologia, numerologia, mapa astral, runas, tarot e diversos. Serviço de consulta rápida e prática ao horóscopo diário, semanal, mensal e anual.