Compartilhar

por Samuel Souza de Paula

Mensagem do Cajueiro

Minhas raízes desenham caminhos curvos de sustentação e crescem nutridas, com a permissão da viva Terra... Ah! Como é bom estar aqui! Sinto crescer para o alto, para baixo e para todos os lados; e até ganho vozes, quando alguém pára seus passos apressados e vem me ouvir... Alguns se inspiram, verdade, e escrevem poemas, outros compõem canções. Alguns me pesquisam, com o intuito de descobrir meus segredos e as qualidades de meus frutos. O que posso dizer, já fui até calendário; quando dava meus frutos era festa dos povos, que dançavam e agradeciam ao Grande Mistério e a Mãe Terra.

Meu coração é como as sementes de todas as árvores, expressão de amor! Minha seiva dá vida e faz lembrar a riqueza existente no meu espaço interior. Seiva que sempre flui por meus galhos, e não esqueço nenhuma folha, mesmo quando elas se vão – ainda estou com elas. Sempre agradeço, aprendi isso há muito tempo.

Meus frutos transmitem a força vital e meu suco é o néctar das minhas experiências alegres. Só posso ensinar a sabedoria do doar e do agradecer. A minha felicidade é a alegria de todos, ou melhor, a alegria de todos é a minha felicidade. Talvez isto seja difícil para você. Mas, tudo bem, com o tempo terá possibilidades de aprender. Desafios são sinais para superá-los.

Sabe, quando se cultiva o amor no coração, a abundância torna-se as ações, e estas, bons frutos e ótimas colheitas. Sim, abundância de sentimentos... Abundância de possibilidades de alegrar a família e seus filhos... Abundância de fartura de amigos... Abundância de escolhas de destino... Abundância de riquezas materiais, dos pensamentos legais, da inteligência e discernimento em lidar com as coisas do mundo. Acredite você não precisa ganhar a vida, você só precisa construí-la.

Se não existisse terra eu também não existiria. Se não existisse outra família de árvores, nossa família de cajueiros não existiria. Procure reconhecer as suas dádivas e respeitar a diversidade da vida. Procure refrescar sua mente e corpo com emoções harmoniosas.

Em todas as épocas, em todos os momentos, esteja atento. Se perder por este mundo é muito fácil! Principalmente quando se têm duas pernas, muitos sonhos, vozes falando por todos os lados e a possibilidade de seguir qualquer direção. Aprenda a ser feliz, não no amanhã – quando ver os frutos, não no depois e nem se apresse. Mas sim, seja você aqui, seja você agora.

Já que pode se movimentar, escolha solos condizentes com o que busca a sua semente. Dos galhos secos podem surgir lindas folhas verdes na confiança de realizar os seus sonhos. Poderá encantar outros olhos quando aprender a reconhecer suas riquezas. De novo, aprenda a fazer de seus amigos frutos de alegria, doe o seu melhor.

Um segredo. Quando minhas folhas balançam levo mensagens de esperança, de firmeza e também minha presença no mundo. Quase ninguém escuta, mas o vento sabe. Ah, outra coisa, entenda que da escassez e do nada, podem surgir muitos frutos. Lembre-se: de uma semente, uma grande árvore!

Sábio é aquele que reconhece a sustentação da Terra, sabe ouvir a natureza transitória e as mensagens no coração do vento. Riqueza é viver o seu melhor agora! Fartura é inteligência para lidar com os desafios! Abundância é o reconhecimento da natureza divina! De verdade, que seus sonhos sejam seu guia. Desejo muitos frutos de felicidade e muitas, muitas alegrias!

Compartilhar

Samuel Souza de Paula

+ artigos

Samuel Souza de Paula. Educador, Escritor e Consultor Bioxamânico. Estudioso do comportamento humano desenvolve trabalhos de integração entre corpo, mente e espírito.