por Ana Beatriz Monteiro

Pensando o Ano Novo

O fim do ano chega com uma sensação boa. É porque a virada sempre traz uma esperança de que mudanças virão. E que serão boas! Afinal, esperança é "a única coisa mais forte que o medo”.

A meta que coloco para mim todo fim de ano, é não deixar essa esperança apagar. A vida pode nos tornar cínicos, meio sem entusiasmo com coisas que costumavam nos empolgar. A esperança vem e vai embora meio à concreta banalidade do cotidiano. Mas eu não aceito me entregar a isso. A vida pode ser, e na verdade sempre é, uma aventura mágica e surpreendente.

Além disso, fim de ano é a época de fazer planos e desejos, e claro, como qualquer um, tenho minha lista de metas e sonhos a correr atrás em 2015. Mas, mais do que pedir, eu quero agradecer. 

2014 não foi um ano fácil, como nenhum ano realmente é, não depois que você vira “adulto”, cria responsabilidades, precisa entregar trabalhos universitários dentro do prazo e das normas da ABNT, trabalhar, pagar contas e marcar suas próprias consultas médicas. Mas mesmo com seus altos e baixos, esse ano que chega ao fim foi um ano bom. E antes de pensar no futuro, é bom agradecer pelo que passou.

Pelos amigos, risadas, amores, gatos e cachorros, pelo trabalho que começou, a faculdade que acabou, lugares novos que conheci, lugares antigos que nunca deixam de encantar. Agradecer por tudo que foi embora, porque abriu espaço para o novo, e até pelas dificuldades, que vieram ensinar que mesmo que a gente caia, o importante é que nos levantamos para começar de novo.

Seja qual for a sua religião, crença ou fé, o que importa é agradecer. E torcer por mais coisas boas, mais surpresas e mais lições. Isso é, afinal, o que alimenta a esperança de todo Ano Novo.

Ana Beatriz Monteiro

+ artigos

Futura roteirista, nerd e viciada em chá de maçã. Acredito, mais do que tudo, no poder das palavras. Amo fotografia e meu sonho é correr o mundo e trazer muitas fotos pra casa. Aí morrer de saudade e querer tudo de novo, outra vez.