por Helyete Santos

Um dia de cada vez

“Deixe a cada dia o seu mal”. Vivemos sofrendo por antecipação fatos que ainda não aconteceram e que, provavelmente, nunca acontecerão. No entanto, nossa mente fica amarrada a nós energéticos ligados, expressivamente, ao bem ou ao mal que projetamos ao longo de nossa vida. 

Quase sempre a incerteza nos fragiliza e condiciona à impossibilidade de atos renovadores e ao fracasso. É aí que nossa força interior tem que ser mobilizada para que uma luz nos leve ao melhor caminho. Na família, no relacionamento amoroso, profissional, a falta de um posicionamento mais seguro e firme, nos remete à amargura de nos acomodarmos ao fracasso de nossos ideais. 

Erga seus fardos e enfrente seus problemas com mais segurança!

O sentimento de impotência nos traz a revolta e o mal-estar. Nós nos sentimos constrangidos e, simplesmente, deixamos de lado o que poderíamos fazer hoje para lamentar depois. O que não adianta mais porque o passado não pode ser modificado.

Deixar o mal para o seu tempo faz-nos erguer nossos fardos com maior segurança e passamos a nos valorizar, credibilizando nossos méritos e, então, redimensionando nossas virtudes em uma nova grandiosa descoberta.

Palavras de encantamento pela vida devem ser ditas ao Universo, como forma de gratidão pela oportunidade de transformarmos o que hoje pode ser tido como mau, desconexo, incoerente e até sofrido. Porém, fica a advertência de que nada acontece por acaso. Um casamento que se acaba hoje, um emprego perdido, uma partida deixando profundas saudades sempre causam transformações, abalos e tornam-se novas causas para novas atitudes.

Persistir no igual, visto daqui há algum tempo, pode nos revelar que fomos incoerentes e fracos. Vamos deixar que o tempo nos mostre nossas vitórias como um Ser Divino capaz de acreditar que tudo acontece para a nossa evolução moral e espiritual.

Helyete Santos

+ artigos

Sou paulistana. Atualmente, moro na cidade de Santos. Atuei como professora de Redação e tenho vários livros publicados sobre técnicas redacionais, como Pais e Filhos Entre Erros e Acertos Editora Edicon. Escrever traz à tona o modo sensível de se viver.