Compartilhar

por Paula de Pinho Falcão

Astrologia transpessoal

A Astrologia Transpessoal estuda a missão de vida de cada ser humano, e da humanidade como um todo. Parte do princípio que todo ser humano é dual:

A primeira parte é chamado Eu Superior, Alma ou Essência, simbolizando a parte do ser que está em contato com o Divino, a parte de cada um de nós que possui a Sabedoria e a lembrança, aquela parte que sabe quem somos, de onde viemos, para onde vamos e o que estamos fazendo aqui.

A segunda parte é a chamada personalidade, a soma de nosso corpo físico, nossas emoções e nossa mente. É o veículo de expressão para a Alma. A personalidade do homem comum costuma ser desconectada, inconsciente, egoísta e sem foco. Tenta ouvir o que a Essência está falando, mas não consegue. Quando consegue, filtra através de suas ilusões, opiniões e preparo, e na maioria das vezes a ideia perde completamente sua pureza.

Através da Astrologia Transpessoal, podemos verificar como está se dando esta comunicação, quais os pontos de ruído e o que podemos fazer para ajudar na integração da personalidade em si mesma e com a Essência, de maneira que possamos saber o que estamos fazendo neste planeta, neste momento e neste lugar, e possamos usar nossas habilidades da melhor maneira possível, nos tornando mais felizes, harmônicos, sábios, amorosos, inteligentes e poderosos.

Partindo do pressuposto de que o contato de cada um com a Essência é a chave para uma humanidade e um mundo melhores, na Astrologia Transpessoal, analisamos sempre duas cartas astrológicas: a sideral, simbolizando a experiência que a Essência está querendo viver, e a tropical (a carta astrológica comum), simbolizando como a personalidade está reagindo a esta necessidade da Alma.

Através da comparação entre estas duas cartas, podemos determinar se a pessoa está usando seu livre-arbítrio contra ou a favor dos desígnios de sua Essência, e o que pode ser feito para que a personalidade responda da melhor maneira possível.

Através da carta sideral, podemos também achar os Raios que estão atuando na Alma, na personalidade, na mente, nas emoções e no corpo vital da pessoa. Os Sete Raios são as sete energias primordiais que compõem o nosso universo, a saber:

Primeiro Raio - Vontade e Poder; Segundo Raio - Amor e Sabedoria; Terceiro Raio - Inteligência Ativa; Quarto Raio - Harmonia; Quinto Raio - Conhecimento Concreto; Sexto Raio - Devoção e Idealismo; Sétimo Raio - Magia Ritual, Organização e Economia.

Dependendo do Raio em atuação na personalidade, Alma ou corpos, a pessoa agirá de maneira diferente. Os Raios pares são harmônicos entre si, assim como os ímpares, mas quando misturamos Raios pares e ímpares temos certo conflito na maneira de agir.

Um exemplo típico desse conflito é o da pessoa que tem uma mente de Quinto Raio (Conhecimento Concreto), portanto está sempre procurando o porquê das coisas, e um corpo emocional de Sexto Raio (Devoção e Idealismo), o que faz com que se sinta extremamente comprometida com sua religião, crença ou ideal de vida. Quando a explicação racional de alguma coisa vai contra os seus ideais, ou a pessoa simplesmente apaga isto, ou se desilude completamente.

Portanto, determinando os Raios, podemos saber como é esse fluir de energias dentro da pessoa, e tendo consciência disso, podemos fazer com que este fluir seja mais simples, harmônico e pacífico.

Por último, gostaríamos de esclarecer que a Astrologia Transpessoal nada tem a ver com a Kármica, pois apesar de reconhecer personalidade e Essência, não trata de vidas passadas.

O objetivo da Astrologia Transpessoal é ajudar as pessoas a entrar em contato com a Essência aqui e agora, mostrando como podemos contribuir para a nossa felicidade e a construção de um mundo melhor.

Compartilhar

Paula de Pinho Falcão

+ artigos

Paula Falcão é astróloga em São Paulo e também atua na área de treinamento empresarial como facilitadora de jogos cooperativos. Ativa produtora de eventos, foi a articuladora dos workshops de Noel Tyl no Brasil, junto com Susie Verde, e do seminário (transformado em livro) Brasil Corpo Alma, em 2001, em que astrólogos paulistas discutiram o mapa e os destinos do país.