por Caroline Bespalec

Cordas rompidas

Algumas pessoas dizem que “o que é passado, deve permanecer no passado”.

Eu penso diferente. Aquilo que aconteceu um dia (mesmo que muito distante) deve sim permanecer no seu presente, e quem sabe até mesmo no futuro. O motivo? Todos nós aprendemos com os nossos erros, com as nossas conquistas, com os nossos desejos e com os nossos sentimentos.

É claro que as situações não serão as mesmas. É claro que, toda essa sua bagagem talvez não funcione uma hora ou outra, afinal, sempre tropeçamos no meio do caminho. E não há como evitar.

Mas o que eu quero realmente dizer, usando como base uma música de James Morrison (aquela que ele canta com a Nelly Furtado, sabe?), é que nós não podemos tocar em cordas rompidas.

Pense apenas em um violão (ta bom, pode ser um violino). Se um dia uma das cordas quebrar e você quiser arrumar usando uma cola super potente, o som não vai ser igual o de antes. Você terá que comprar uma nova corda, mesmo gostando da antiga. Mas aquela velha, você pode guardar como recordação.

Trazendo esse exemplo para a “vida real”: se um dia o seu namorado terminou com você, uma amiga sua te abandonou ou você abandonou essa amiga, ou mais X situações possíveis, as cordas do relacionamento automaticamente são rompidas. Pode ser que dê para consertar, mas às vezes, quanto mais você “cutuca a ferida”, mais dor você sente. Assim como no violão, o som da sua relação não será mais o mesmo...

Então se um dia alguém te falar que o passado deve ficar lá atrás, discorde. Use como exemplo todas as suas experiências para dar vida às suas expectativas.

“Você não pode tocar em cordas rompidas. Você não pode sentir nada que seu coração não quer sentir. Eu não posso te dizer uma coisa que não seja real...” – Broken Strings – James Morrison.

Caroline Bespalec

+ artigos

Uma jornalista, geminiana e que sempre muda de opinião. Gosta de moda, filmes e do inverno. Trocaria todas as conversas em redes sociais por encontros pessoais.