Compartilhar

por Andrea Pavlovitsch

Despertando nossa bruxa interior

A ideia que temos das bruxas são de seres feios e desprezíveis, com grandes verrugas marrons e peludas no nariz e um bafo de cachorro morto. Sei que não queremos parecer bruxas quando vamos encontrar um pretendente pela primeira vez, ou no dia da nossa formatura ou festa de casamento. Pois, é! Mas o fato que é que todas nós, e todos nós, temos nossa bruxa ou bruxo interior.

Sim, você tem uma bruxa. Ou, se for um homem, um mago. Sei que você não anda por aí de vassoura na mão (a menos que seja faxineira) nem tem um caldeirão em casa (a não ser que cozinhe comida baiana), mas mesmo assim você é uma bruxa.

Antigamente, lá na Idade Média, as bruxas eram todas as mulheres que detinham alguma sabedoria popular. Pense numa época em que o hospital mais próximo ficava a uns dois países de distancia e que a meia dúzia de médicos do planeta se amontoava nesse pequeno hospital. Como fariam as pessoas com suas gripes, resfriados e machucados? Recorriam a essas mulheres que, principalmente, conheciam o poder curativo das ervas. Assim como os xamãs das tribos indígenas, estas sábias conseguiam curar desde pequenos machucados, até grandes complicações da vida de uma pessoa e faziam isso com maestria. Num tempo em que não existia nem Barsa e muito menos Internet, elas recorriam a sua sabedoria interior. Escutavam a sua intuição, escutavam a própria natureza e, de fato, encontravam remédios no quintal de casa. 

E então veio a Inquisição, que apesar do nome, de santa não tinha nada. Para que a igreja da época, e até mesmo alguns senhores, ficassem com as terras dessas mulheres (que geralmente moravam sozinhas, ou por não se casarem ou por estarem viúvas) as condenavam a tal da fogueira. Assim, muitas das chamadas bruxas foram mortas de maneira cruel e, com elas, muito da nossa sabedoria e intuição.

E o que isso tem a ver com a gente hoje? Tudo! A magia nada mais é do que escutar a nossa intuição e nada tem a ver com somente tirar um coelho de uma cartola.

A magia é aquilo que fazemos no nosso dia a dia. É mágico transformar farinha e água em um pão quentinho e saudável. É mágico usar cores para decorar um ambiente e torná-lo mais aconchegante. É mágico pensar numa coisa e consegui-la.

Quantas vezes você já colocou uma coisa na cabeça e conseguiu aquilo pouco tempo depois? Pode ser uma bolsa linda na vitrine até um novo amor. Quantas vezes você pensou que queria muito um chocolate para, minutos depois, seu amor chegar com uma caixa cheinha deles? A magia funciona, e está presente nas pequenas coisas do nosso dia a dia.

O problema é acreditarmos nela. Sempre olhamos isso como meras coincidências, que não são. Coincidências são as coisas que acontecem, mas que não nos interessa em nada. Aquilo, para nós, será uma coincidência. Se aquilo tem algum significado pessoal, então será uma sincronia. Você pensa naquilo e materializa aquilo que deseja. Claro que, cada um tem um grau de poder de materialização e quando mais conscientes e evoluídos estamos, maior será esse poder.

Pense naquelas pessoas que conseguem tudo, tudo mesmo, aquilo que pensam e numa velocidade estonteante. E pense em você, lutando, sofrendo pra conseguir comprar aquele vestido em 12 x! É diferente, né? Pense naquela mulher cujo marido milionário concede tudo (e da qual você morre de inveja) e você tirando trocados do seu salário para pagar uma conta. Isso é só o poder de materialização dela, porque, afinal de contas, o Universo tem muitas maneiras de nós dar aquilo que desejamos. Então, quando olhar uma mulher dessas novamente, não morra de inveja e aprenda!

É claro que nem todo mundo quer as mesmas coisas, ainda bem. Nem todos querem namorar o mesmo cara, ou comprar a mesma casa, ou morar no mesmo bairro. Por isso que é legal a gente saber quem é e o que quer realmente da nossa vida. Talvez não te faça falta ter todas as grifes no seu guarda-roupa, mas sim dar um bom estudo para seus filhos e conforto para a família. Cada pessoa pode usar essa bruxa como quiser.

Técnicas de bruxaria

A principal técnica de bruxaria que eu conheço, e que funciona, é você fazer o seu próprio ritual. Se você tiver uma religião, que já tenha seus rituais, então pode usar também. Eu, particularmente, gosto de fazer listas das coisas que eu desejo e de especificar, direitinho, o que eu quero. Se eu preciso de um novo trabalho, especifico na carta onde é, em que bairros, qual será o horário de trabalho, tudo direitinho. Se é um carro, eu recorto fotos do carro que eu quero, escrevo a cor, o modelo, os opcionais, tudo o que desejo. Depois eu queimo esse papel para que o Universo o leia e o traga para mim, assim que possível. Bom, para mim, funciona, mas você pode inventar os seus próprios rituais, da maneira como a sua intuição quiser.

O principal é sempre escutar a nossa intuição. Escutar a nossa alma, aquele ser lá dentro de nós que tem desejos de passar por experiências que você nem saber quais são. Saber quem você é e chamar a sua bruxa interior sempre que precisar dela. Dê um nome para ela, ou para ele. Converse com ela como quem conversa com uma amiga. Se ela não puder fazer algo por você, ela vai dizer o porquê.

Você é sempre seu melhor amigo, porque só você vive aí dentro. Use esse poder incrível para viver melhor e ser muito mais feliz.

Compartilhar

Andrea Pavlovitsch

+ artigos

Terapeuta porque adora ajudar as pessoas a se entenderem. Escritora pelo mesmo motivo. Apaixonada por moda, dança, canto e toda forma de arte. Adora pão de queijo com café e não pretende mudar o mundo, mas, quem sabe, uma pequena parte da visão que temos dele.