por Erickson Rosa

Para amar é preciso arriscar

Ninguém gosta de correr riscos. Muito menos no que diz respeito à área afetiva. Entrar em um relacionamento correndo riscos? Nem pensar. Muitos têm essa afirmação em sua cabeça.

Mas amar não é o mesmo que se arriscar?

Vamos ser sinceros, não correr riscos é impossível. Estamos sempre correndo algum tipo de risco e isso é inevitável. Quando você levanta de sua cama há sempre uma possibilidade de que algo não muito bom possa acontecer. Alguém pode bater em seu carro, o pneu pode furar, algum acidente pode ocorrer, você pode perder seu emprego, etc.

Contudo, não podemos deixar que os riscos nos paralisem, porque se você fica com medo de tudo, acaba não saindo mais de sua casa, acaba não vivendo mais.

Para viver é preciso se arriscar. E você faz isso todos os dias, mesmo que não note. Corremos riscos e assumimos isso para viver. Os problemas sempre estão a nossa espreita, mas isso não nos impede de seguirmos adiante.

Da mesma forma é com os relacionamentos, pois quando estamos em um, arriscamos nosso coração. Podemos até mesmo sair machucados dessa relação. O mais importante é entender que viver é correr riscos. Temos que estar dispostos a correr esses riscos, pois os maiores prêmios não vêm sem algum nível de perigo.

Se tentamos evitar as situações que nos trazem alguma ameaça caímos em uma armadilha ainda maior. Criamos vários comportamentos de esquiva, tentando evitar sentir qualquer tipo de dor. Porém, ao tentar evitar a dor sofremos ainda mais, pois geramos mais restrições na nossa vida.

Um exemplo disso seria a pessoa que foi traída e que agora acredita que todos os homens irão traí-la. Assim, ela pode até gostar de alguma pessoa, mas logo pensa que ele vai trair e acaba o relacionamento antes que o parceiro possa provar o contrário. Isso é o que chamamos de comportamento de esquiva. A pessoa começa a evitar qualquer situação que possa trazer algum risco. São muitas situações para evitar e isso acaba gerando muita ansiedade e muito sofrimento.

Melhor e mais fácil é aceitar que você vai correr riscos, que vai se machucar e o melhor de tudo isso: que vai aprender com essas situações. Evitar e viver fugindo da dor só irá gerar mais sofrimento e você irá perder muitas coisas boas em sua vida. Amar é se arriscar, e se você não se arrisca, como espera que alguém possa demonstrar esse amor por você? É necessário estar exposto para que o sol atinja seu corpo. Se você se esconde em casa, pode até se proteger de algumas coisas ruins, mas com certeza também irá perder as coisas boas.

Como disse sabiamente Steve Hayes, psicólogo desenvolvedor da ACT: “Na vida a dor é inevitável, mas o sofrimento é opcional”. O que ele quer dizer é que se evitamos a dor, aumentamos paradoxalmente o sofrimento. Por isso, deixe de lado a questão de não se arriscar. A vida é muito curta para ficar dentro de uma ostra.

Erickson Rosa

+ artigos

Terapeuta holístico, Mestre Reikiano e formado em psicoterapia holística. Fundador do Coach Matinal e autor do e-book Ansiedade Sem Remédios. Ministra cursos e eventos com temas como a motivação, psicossomática, fisiognomonia e meditação.