Compartilhar

por Giovanna Sapienza

Nosso planeta pede ajuda

Estamos passando por um momento delicado de nosso planeta. Em meio a ataques e guerras no Oriente Médio, Europa e África estamos todos preocupados, aflitos, pensando onde tudo isso vai parar. As discussões sobre pontos de vista nas mídias sociais continuam fervorosas, dando sequência à situação que vivemos nas eleições do ano passado. A tarifa aumentou, cortes e reajustes foram feitos pelo governo e todos continuam discutindo e atacando o semelhante que tem opinião contrária a sua.

Ontem vi duas frases de nosso querido pontífice Papa Francisco que viraram manchete em diversos sites e jornais: “Liberdade de expressão não dá o direito de insultar o próximo”,  "Não se pode ofender, ou fazer guerra, ou assassinar em nome da própria religião ou em nome de Deus”.

Liberdade de expressão não dá o direito de insultar o próximo, mas não se pode ofender ou assassinar
em nome de Deus.

Há tempos não ouvia algo tão verdadeiro e significativo de uma autoridade mundial e, em poucas palavras, este nosso irmão de jornada disse tudo que um grande mestre diria aos seus discípulos. Nossa fé, nossas crenças e nossas verdades não devem ser levantadas como argumento para insultarmos o próximo, simplesmente porque ele não compactua de nossos pensamentos e caminhos.

Hoje temos tantas pessoas que falam, se impõem, manifestam sua opinião através de discursos, pregações, textos e até mesmo redes sociais. Mas se olharmos mais de perto, perceberemos o caos e a pobreza de alicerces seguros que reinam em suas vidas e em seu interior.

Acredito que todos têm o direito de se expressar, colocar para fora as coisas que sabe, seus sentimentos e aflições, desde que isso seja feito com respeito e que você assuma que também é falho. Ninguém está aqui para salvar ninguém, não estamos prontos muito menos preparados para resgatar nossos semelhantes.

Todos nós humanos estamos na horizontal.

Somos todos falhos, estamos todos em processo de crescimento e evolução, cada um com seu grau de consciência e desenvolvimento. Nada, nem um cargo, poder ou situação pode nos colocar á frente ou superior a ninguém.

Pois bem meus amigos, diante tudo isso que já observamos até agora, será que este não é o momento de silenciarmos nossas bocas e começarmos a olhar para dentro de nós? Quero que reflitamos juntos que a melhor forma de mudarmos nosso mundo é mudando nossa realidade, mudando nossos comportamentos e reações diárias. Infelizmente nossa sociedade está instalada neste ego sem fim, justamente pela nossa falta de consciência interior, entendimento a respeito de nossas próprias limitações e dificuldades.

Todos os grandes avatares que passaram por este globo nos mostraram a importância de sermos para o outro (e os outros), aquilo que queremos para nós. Nos ensinaram o verdadeiro valor da humildade, mas aquela que rebaixa e humilha, é a humildade de reconhecermos o quanto ainda precisamos aprender e crescer e que somos todos centelhas de uma mesma fonte (Deus).

Pois hoje, sugiro que você faça um raio X completo de seu interior,  pense muito a respeito da mudança que você quer no mundo e visualize o que você realmente está fazendo para que ela aconteça.

Não vamos esperar o caos se instalar em nosso planeta, paremos de apontar o dedo na cara do outro e comecemos a mudar nosso interior, para que aí sim esta mudança seja partilhada com todos à nossa volta.

Namastê!

Compartilhar

Giovanna Sapienza

+ artigos

Terapeuta Holística, Jornalista e espiritualista, fundadora do projeto Saber Pleno. Amante de arte, comunicação e natureza, já estuda espiritualidade e novos caminhos para saúde e bem estar há 5 anos. Acredita muito nas relações pessoais, nos processos energéticos e nos bons sentimentos como caminho para uma vida feliz.

Frase de cabeceira: “A dor é inevitável, mas o sofrimento é opcional.”