por Ana Beatriz Monteiro

Universos Imaginários

Todo livro que você já leu é composto por apenas 26 letras e dez numerais. Impressionante, não? Parece pouco para o efeito que as palavras nos causam. Livros nos conquistam, nos mudam, nos ensinam. Criam universos inteiros em nossa imaginação.

Prateleiras de livros. Uma das mais lindas visões para os apaixonados por palavras. Quantas meninas, ao assistir A Bela e a Fera, sonharam, não com um príncipe, mas com aquela biblioteca?

Uma coisa que nunca entendi são pessoas que dizem não gostar de ler. Tive um professor que, ao ouvir alguém dizer isso, tratava logo de discordar. Segundo ele, não existe no mundo quem não goste de ler. Apenas aqueles que ainda não descobriram o seu livro: o livro que irá inevitavelmente ser parte de sua vida, e abrir sua mente para o poder das histórias.

Palavras sábias. Entregar-se à leitura é permitir que mundos inteiros se abram para você. E como alguém poderia recusar tal proposta? A magia que se esconde entre contos e histórias é irresistível.

Como alguém que a partir do momento que aprendeu a ler, nunca passou muito tempo sem um livro nas mãos, eu consigo entender exatamente o que é isso. Existem livros que nos chamam, de verdade. Os nossos livros. Aqueles em que  precisamos ler apenas uma página para sermos capturados.  Que logo no primeiro capítulo já nos convidam a nos perdermos em suas tramas, seus enredos, seus pensamentos. São os livros mais importantes que você encontrará. 

Mas nem tudo precisa ser grandioso para ser essencial. Existem também aqueles livros que apenas nos agradam, ou que nos fazem rir ou chorar ou aprender algo que nunca havíamos pensado querer descobrir. A coisa mais difícil que há é você ler um livro e não sair uma pessoa melhor depois.

Da mesma forma, como os leitores bem sabem, o contrário também ocorre. E nessas horas, o melhor é praticar o desapego. Se um livro parecia interessante, mas a leitura te faz mais mal do que bem, deixe-o de lado. Com certeza, coisas mais interessantes te esperam na próxima estante da prateleira.

Se você ainda não é um leitor, não desista. Busque, procure, se entregue. Qualquer livro que seja: clássicos, romances, poesia, aventuras fantásticas com piratas e dragões. O seu livro está por aí, esperando por ser encontrado por você. Esperando para te conquistar.

E como bem disse Jorge Luis Borges – ele que era escritor, poeta e, acima de tudo, leitor - “Sempre imaginei que o paraíso será uma espécie de biblioteca”.

 

Ana Beatriz Monteiro

+ artigos

Futura roteirista, nerd e viciada em chá de maçã. Acredito, mais do que tudo, no poder das palavras. Amo fotografia e meu sonho é correr o mundo e trazer muitas fotos pra casa. Aí morrer de saudade e querer tudo de novo, outra vez.