Compartilhar

por Erickson Rosa

A imperfeição da felicidade

Vivemos nos movimentando no mundo buscando sempre melhorar nossa condição de alguma forma. De maneira geral, todos se movem para atrair situações que gostam e se afastar de situações que causam aversão. Vive-se, então, na ânsia de uma vida perfeita, de um local idealizado, onde as coisas finalmente darão certo. Entretanto, nem mesmo aquelas situações que geram felicidade parecem durar para sempre. Quando atingimos o local que desejamos, precisamos nos esforçar para manter as causas que geram e sustentam essa realização.

Deparamo-nos, então, com uma realidade imperfeita, mas mesmo assim tentamos buscar a perfeição em todas as coisas. Tentamos criar a casa ideal, o trabalho ideal, achar a pessoa ideal, o governo ideal, etc. Buscamos desesperadamente um local idealizado, sem perceber que a imperfeição faz parte de nossa existência. Sei que essa última frase pode parecer forte, mas se é impactante para você é porque durante muito tempo tem negado a imperfeição que existe em todo ser. Veja que a imperfeição faz parte de nossa existência, mas que isso não é uma coisa ruim, e sim necessária.

A necessidade da imperfeição

Os erros nos ensinam e nos mostram nossas falhas, mostram onde devemos melhorar. Igualmente, se tomarmos consciência de que todos possuem falhas, conseguiremos ter mais empatia pelos erros e falhas do outro e, então, compreender que todas as pessoas erram tentando acertar. A falha, o erro, o imperfeito é algo que ocorre na vida. Se buscarmos a perfeição em todas as coisas, rapidamente nos frustramos, pois nossa expectativa é algo que está acima da realidade do mundo.

Da imperfeição nasce a compreensão com a falha do outro, do erro nasce o aprendizado, da falha surge o entendimento que precisamos do próximo para conseguir avançar. Não somos perfeitos e isso é o que traz o sentido da vida, pois podemos olhar para nossa imperfeição de maneira a aprender com ela e buscar uma expansão de nossa visão.

Quando falamos sobre felicidade, normalmente as pessoas acham que esse é um estado que se precisa alcançar, que precisamos buscar isso. Por meio desse engano criamos a ideia errônea de que a felicidade é algum lugar fora de nós, com condições específicas. Assim, achamos que a felicidade é um lugar com carros, casa, uma pessoa perfeita, tudo perfeito, mas a felicidade não é um lugar. Ela é uma compreensão de como a mente funciona, de como o mundo funciona e da aceitação de que a própria existência não é perfeita.

A vida é feita de altos e baixos e como olhamos para essa montanha russa é o que define nossa felicidade ou não. Podemos ver os obstáculos como uma maneira de aprendermos, crescermos e superarmos nossas próprias limitações, ou então olhar como infortúnios que nos impedem de sermos felizes. Não importa a visão que desenvolva, saiba que ela está certa, pois sua vida é definida pela visão que você tem das situações. Acreditar em um lugar perfeito para alcançar é manter a ilusão e o engano que cria o sofrimento. Viver verdadeiramente é conviver com a imperfeição e, mesmo assim, aprender que a felicidade não está em outro lugar que não seja dentro de você.

Compartilhar

Erickson Rosa

+ artigos

Psicólogo clínico laureado pela PUCRS. Atende crianças, jovens e adultos. Palestrante sobre a temática do inconsciente.

site www.coachmatinal.com.br

email [email protected]

celular (51) 99543-3715