por Mia Vilela

A simbologia de Escorpião

Escorpião é o oitavo signo do Zodíaco e o segundo signo da tríade dos signos do elemento Água. Tal qual seus irmãos, Câncer e Peixes, o Escorpião transita pelo reduto das emoções.

Aqui tratam-se de emoções bastante profundas e até mesmo inconscientes e, principalmente, dotadas de grande força. Estamos no território do medo, do ódio, da paixão, da capacidade de regeneração e de transmutação. E se estamos no terreno da transmutação, também estamos nas águas da morte, que nada mais é do que a maior das transmutações.

Escorpião simboliza a alquimia, a capacidade humana de conhecer, reger e transmutar suas emoções e, assim, empoderar-se de si mesmo. É através dessa habilidade de se regenerar internamente que o ser humano adquire o verdadeiro e indestrutível poder: o poder sobre si mesmo!

Escorpião ensina que aquele que tem a coragem e a audácia de ir fundo em suas próprias águas internas e trabalhar seus demônios, transformando-os em força, jamais será abalado, pois aquele que sabe que tudo muda e que nada na Terra permanece o mesmo, nem nós mesmos, deixa de temer a morte e se você não teme a morte, então nada te abala.

Ocorre que esse percurso pelas águas do inconsciente é árduo e doloroso, exige muita força e habilidade de perdoar a si mesmo e aos outros. E perdão, meus caros, é a grande lição que Scorpio veio aprender nessa existência. Se esse signo tem tudo a nos ensinar sobre poder, força, ódio, paixão e todas as forças mais poderosas e destrutivas que nos habitam, tem muito a prender sobre o perdão, que é a chave de toda essa transmutação.

Perdoar não é dar a cara a tapa novamente, mas conseguir limpar o coração da raiva e da mágoa, abrindo espaço para a depuração desses sentimentos em aprendizado, sabedoria e compaixão.

Escorpião, que deve aprender o perdão e a compaixão com o terreno Touro, seu signo oposto, ao equilibrar as forças nocivas internas com essa compaixão, ensina como exercer poder: com firmeza, coragem, mas também com ternura.

Se essa habilidade de equilíbrio interno que leva a uma inabalável estrutura emocional não for desenvolvida, teremos o desejo do poder pelo poder, daquele derivado de uma posição social ou hierárquica e que, justamente por ser criação humana, pode desmoronar a qualquer tempo.

É essa simbologia do signo que ensina que aqueles que buscam o poder pelo poder têm, no fundo, medo de serem dominados e desejam ardentemente dominar. É uma espécie de defesa contra um mundo que enxergam como cruel, o qual apenas reflete as mais sombrias emoções internas. Portanto, caro leitor, cuidado com quem deseja o poder somente pela sua suposta (e ilusória) proteção, pois quem vê o mundo com tanto medo, provavelmente tem emoções não depuradas dentro de si, prestes a explodir em uma erupção.

Como perceber quem é assim? Simples, essas pessoas agridem verbalmente de forma gratuita e não gostam de competir, mas de eliminar competição.

Vejam que isso não é privilégio de quem nasceu sob o signo de Escorpião, qualquer pessoa, de qualquer signo, pode, de diversas maneiras, ter a energia de Escorpião de maneira forte dentro de si (ex.: ascendente em Escorpião, Plutão na Casa I, entre outros). Além disso, existem pessoas de Escorpião de todos os níveis evolutivos, tal qual ocorre com qualquer signo, de modo que você pode conhecer alguém desse signo que já é senhor de si mesmo e que vai demonstrar extrema capacidade de liderança e percepção das necessidades alheias, mas saberá exercer seu poder com uma terna firmeza, que impõe respeito e todos percebem que não se deve desrespeitar.

Escorpiões não são, necessariamente, um vulcão prestes a explodir, cheio de sentimentos nefastos, o que esse signo mostra é que todos nós temos os nossos demônios internos e que precisamos tirá-los das profundezas de nossa alma, a fim de podermos transformá-los em nossos mais preciosos potenciais.

Através de Escorpião, o Zodíaco nos ensina que somos todos vulneráveis e, ao mesmo tempo, indestrutíveis, desde que saibamos como reger a orquestra interna de emoções e desejos, sob pena de nos tornarmos escravos desses sentimentos ruins.

A qualidade da Água de Escorpião é fixa, simbolizada pelo iceberg, cuja estrutura permanece 90% escondida sob a água. Esse iceberg é, justamente, o nosso inconsciente. É preciso lembrar do oitavo trabalho de Hércules, em que ele, para matar a Hidra na caverna, compreende que não é útil tentar cortar suas cabeças, pois outras surgem no lugar de cada cabeça cortada. Hércules ensina que a hidra (ou os 90% submersos) apenas podem ser domados e transformados se erguidos de baixo para cima e levados à luz, quando, então, o monstro vira uma belíssima joia!

Escorpião, nesse sentido, simboliza a psiquiatria, os profissionais que cuidam de presídios, drogados e de toda sorte de situações em que o ser humano chega ao fundo do poço, onde encontra o auxílio para o renascimento, tal qual a Fênix, também símbolo de Escorpião. Bancos, serviço secreto governamental, chefes de inteligência de governo e exército, tudo isso é simbolizado pela energia de Escorpião. O direito penal também.

Acerca do direito penal, vamos raciocinar: se é reflexo da energia de Escorpião e se restou demonstrado acima que a raiva deve ser transmutada em compaixão, o que te faz pensar que um presídio em condições de insalubridade e degradação humana irá recuperar alguém? Cada vez que você deseja que um preso sofra condições degradantes na cadeia, você, seja de que signo for, está exercendo os demônios simbolizados por Escorpião e acaba sendo envenenado por ele. Da raiva não nasce a cura, assim, um sistema prisional meramente vingativo devolve à sociedade um sujeito ainda mais nocivo, porquanto mais contaminado por essa mesma raiva. Daí porque sistemas carcerários onde há colocação de dinheiro e esforços na recuperação e educação devolvem à sociedade o resultado que se espera: altos índices de regeneração.

Escorpião ensina que todos nós temos algo a regenerar, portanto, temos que ter muito cuidado quando apontamos a espada ao outro. Não à toa, o signo subsequente é Sagitário (sobre o qual já há artigo publicado), que simboliza a elaboração das leis. Isto é, antes de elaborar o direito, o homem tem que ter compreendido os seus demônios e os da humanidade, sob pena de elaborar um aparato jurídico pernicioso.

Em suma, este signo vem nos ensinar que precisamos de muita compaixão e estratégia para lidarmos com nós mesmos e com os outros, a fim de renascermos a cada ciclo como uma pessoa mais forte e poderosa de si mesma.

É preciso entender essa etapa do desenvolvimento humano para alcançar o último signo do Zodíaco e também o último signo de Água: Peixes, aquele que ensina a caridade e o amor incondicional e sobre o qual falarei no próximo artigo. Amar ao próximo incondicionalmente exige que o trabalho interno simbolizado por Escorpião esteja muito bem-feito. 

Mia Vilela

+ artigos

Mia Vilela é astróloga desde 2004, formada pela Regulus Astrologia. Suas consultas são voltadas ao autoconhecimento e previsões.

Desde a infância Mia sempre foi muito curiosa acerca da Astrologia, pois sua natureza controladora a fez desejar desvendar os mistérios do destino: como assim não podemos controlá-lo? Acabou por aprender que a nossa personalidade é o nosso destino e percebeu que a Astrologia, antes de um oráculo, é uma ótima ferramenta de autoconhecimento, bem como uma das inúmeras fontes de conhecimento sobre o funcionamento da personalidade humana.

Por meio de uma linguagem acessível, Mia espera poder compartilhar o que aprendeu e tem aprendido nesses anos, a fim de que mais pessoas possam ter acesso ao que a Astrologia tem a nos ensinar. Com isso, espera contribuir com uma sementinha para que os leitores depositem um olhar mais profundo sobre si mesmos, entendendo que, ao mudarmos nós mesmos, mudamos o mundo à nossa volta.