Compartilhar

por Equipe Horóscopo Virtual

As causas de um Déjà-vu

Quantas vezes você já passou por uma situação e, como em um estalar de dedos, disse para quem estava ao seu lado “isso já aconteceu antes”, ou “tive um déjà-vu”? Em geral, fazemos isso quando temos a sensação de que uma cena que está acontecendo diante de nossos olhos não é inédita, como se já tivéssemos vivido aquilo anteriormente.

A parte mais curiosa sobre o déjà-vu é que ele não se trata de um grande evento, como uma Guerra Mundial, que estaria se repetindo. É uma situação muito específica que parece estar acontecendo exatamente da mesma maneira pela segunda vez, como se você estivesse em um filme e o telespectador rebobinasse a fita.

Normalmente, um déjà-vu acontece quando uma pessoa vê outra lhe entregando um objeto de um jeito específico ou falando algo que ela nunca disse antes, e mesmo assim parece familiar. Cada pessoa experiencia esse evento de um jeito, sendo impossível prever como ele vai se manifestar para você.

Alguns podem acreditar que esse acontecimento se trata de uma viagem no tempo, mesmo sabendo que isso é fisicamente impossível. Outros devem imaginar que simplesmente se enganaram e que tal situação nunca aconteceu antes, na verdade. Há, ainda, os que são um pouco mais realistas e decidem investigar o que está por trás dessa travessura das nossas mentes.

Se você se encaixa no terceiro grupo de pessoas, provavelmente você já até usou a expressão “déjà-vu”. Mas será que você sabe o que ela significa? E o que causa esse fenômeno tão comum e ao mesmo tempo tão misterioso? A seguir, aguce sua curiosidade e entenda por que você sente que algo está acontecendo pela segunda vez, mesmo quando isso seria impossível!

O que significa “déjà-vu”?

Homem negro com roupas sociais, segurando celular e com a mão na nuca, com expressão confusa.

A expressão “déjà-vu” é um termo em francês que, traduzido para o português, significaria algo como “já visto”, ou seja, se você fosse narrar a sua experiência da forma como falamos no Brasil, você diria “isso já foi visto por mim antes”. A primeira pessoa a utilizar essa palavra foi Emile Boirac, um estudioso da psicologia.

Inclusive, para a psicologia, o significado de “déjà-vu” é um pouco mais complexo. Segundo o Oxford Languages, a definição para o termo é a seguinte: “forma de ilusão da memória que leva o indivíduo a crer já ter visto alguma coisa ou situação de fato desconhecida ou nova para si”.

Em outras palavras, déjà-vu é uma ilusão que a sua memória cria de que algo está acontecendo pela segunda vez quando, na verdade, não está. Conscientemente, você sabe que é a primeira vez que vive esse evento, mas a sua memória insiste em te enganar.

O que acontece durante um déjà-vu?

Mulher de traços asiáticos olhando para cima.

Uma pesquisa publicada em 2016, no The Quarterly Journal of Experimental, apontou o que acontece durante um déjà-vu, biologicamente falando. Foi identificado que esse fenômeno acontece principalmente entre pessoas de 15 a 25 anos e ele se manifesta quando o cérebro de uma pessoa emite um sinal para garantir que a memória dela está funcionando bem e que ela consegue distinguir o que ela já viveu do que ela pensa que viveu.

Então, o déjà-vu é uma forma de o seu corpo manter a sua memória funcionando, garantindo que você vai se lembrar de eventos passados sem se confundir com algo que, na verdade, nunca aconteceu. Em um caso específico, uma pessoa que sofre de epilepsia pode ter um déjà-vu inúmeras vezes. Nessa situação, é preciso procurar auxílio médico.

Apesar disso, existem outras teorias para esse acontecimento que mostram que talvez nosso cérebro não seja tão fiel assim às memórias que temos e aos eventos que estamos vivendo. Há quatro teorias que contradizem o que o estudo apresentado afirmou, mas elas não têm comprovação científica. Veja só!

1) Uma memória semelhante

Mulher negra com mão no queixo e expressão confusa.

Quando uma pessoa está vivendo uma situação familiar a ela, o cérebro fará um esforço para identificar memórias dessa pessoa nesse contexto. Ele procurará situações muito semelhantes à atual, e então fará com que esse indivíduo acredite que já viveu aquilo que acabou de acontecer.

2) Confusão de memórias

Mulher de traços asiáticos encostada numa grade, com expressão confusa.

Outra teoria não comprovada afirma que o déjà-vu ocorre quando o cérebro de uma pessoa não está funcionando perfeitamente e acaba cometendo uma confusão entre as memórias de longo prazo e as memórias de curto prazo. Ele faz com que esse indivíduo acredite que a situação que ele está vivendo já é antiga, mesmo que isso não seja um fato.

3) Um pouco mais devagar

Mulher negra com mãos nos olhos.

Todas as vezes que o cérebro de uma pessoa recebe uma informação, ela é levada do hemisfério esquerdo para o hemisfério direito, para depois retornar ao hemisfério esquerdo, porém, se esse processo demorar um pouco mais em alguma das etapas, uma confusão pode acontecer.

Se a informação ficar muito tempo no hemisfério direito, o cérebro acreditará que aquela mensagem recente, na verdade, é uma memória antiga, provocando o déjà-vu.

4) Não é a vida real

Mulher branca usando óculos de Sol olhando para trás.

A última teoria sobre o déjà-vu afirma que o cérebro humano pode falhar às vezes. Na hora de identificar o que estamos vivendo, ele procura no armazenamento de memórias algo a que já assistimos ou algo que lemos e que não aconteceu na vida real. No entanto, em vez de reconhecer que esse evento se trata de uma ficção, nos apresenta como uma memória da vida real.

Déjà-vu para a espiritualidade

Para a espiritualidade, nenhuma das teorias apresentadas anteriormente explica o que é um déjà-vu. Esse evento estaria relacionado, segundo essa forma de ver o mundo, a experiências que já foram vividas em outras encarnações do espírito de uma pessoa, isto é, o déjà-vu é uma memória de uma vida passada, que retornou por algum motivo.

Se esse fenômeno aconteceu e trouxe uma sensação positiva, pode-se entender que a pessoa envolvida na situação ou o lugar onde ela está trouxe boas experiências em outra encarnação. Por outro lado, se o déjà-vu traz uma sensação ruim, de que algo está errado, é provável que o seu espírito esteja tentando te alertar sobre algo negativo que aconteceu com ele no passado.

Você também pode gostar:

Caso você seja uma pessoa que tem a sua espiritualidade bem desenvolvida, nesse sentido, um déjà-vu pode ser um importante sinal para você. Ou de que está tudo bem ou de que é melhor se afastar da pessoa ou do local em que você está. Preste atenção e tome cuidado!

Um déjà-vu é um fenômeno que pode acontecer com qualquer pessoa, a qualquer momento, e biologicamente não apresenta riscos, porém, segundo a espiritualidade, pode ser uma forma de comunicação que seu espírito encontrou para te enviar um alerta. Independentemente do que você pense sobre essa sensação de já ter visto uma cena, observe as próximas memórias que aparecerão de repente para você!

 
 

Compartilhar

Equipe Horóscopo Virtual

+ artigos

Site esotérico completo que reúne conteúdos como astrologia, numerologia, mapa astral, runas, tarot e diversos. Serviço de consulta rápida e prática ao horóscopo diário, semanal, mensal e anual.