Compartilhar

por Flavia Ramires

Despertar coletivo

Despertar coletivo... O que é, afinal?

Muito se fala na nova era, na ascensão da Terra como algo iminente de acontecer e com data limite*. Sentimos medo dessa data limite, mas o que isso significa na verdade? Como esse "evento" vai nos atingir, individualmente?

Não dá para vivermos um "Despertar Coletivo" sem despertarmos individualmente. O Universo precisa de cada um de nós para formar o todo. Somos pequenos, mas somos importantes. Muitas pessoas já entraram nesse processo e como chega a hora do "despertar coletivo", as experiências pessoais se tornam fortes, cheias de significado, às vezes até pesadas, para que, individualmente, possamos refletir e nos transformar, até alcançarmos uma vibração desperta e fazermos parte dessa ascensão (mudança da vibração da Terra da 3ª Dimensão para a 5ª Dimensão).

Certo, então o que é preciso para despertar?

Despertar é um processo de abertura de consciência que te permite ver as coisas, a realidade como você nunca viu. Para despertar é necessário abrir os olhos, isso mesmo! Abrir os olhos para outros pontos de vista, para outras realidades, para outras vidas, para outras evoluções, para outros mundos. É necessário, porém, ir além de abrir os olhos... É necessário aceitar e respeitar que cada coisa ou pessoa é o que tem que ser e que tudo está de acordo com a equação do Universo, que assim como o símbolo do Ying Yang, tem seu polo positivo e negativo e precisa disso para seu equilíbrio perfeito.

O despertar e as escolhas conscientes para a vida

E quando eu sei que estou despertando?

Despertamos quando deixamos nossas crenças limitantes de lado, respeitamos e nos abrimos para a verdade de quem está ou passa por nossa vida e por nosso caminho.

Despertamos quando cuidamos verdadeiramente de nós e nos aceitamos.

Despertamos quando aceitamos o outro como ele é, mas não necessariamente o mantemos na nossa vida. Quando somos capazes de avaliar desapaixonadamente se uma presença nos faz bem ou mal e assim decidimos por mantê-la ao nosso lado, ou não, aceitando-nos como cocriadores de nosso próprio Universo, pois nós somos. Com cada escolha que fazemos, criamos nosso destino. A estrutura de nossa vida, nosso destino (que pode ser estudado no mapa de nascimento e no mapa astral), vem pronta através de contratos firmados antes de nascermos na terra, mas é o nosso livre arbítrio que nos liberta, ou nos aprisiona, nada mais. Despertos, somos nossos verdadeiros mestres, não precisamos de muletas, caminhamos e evoluímos através do Deus que habita em nós, não fora de nós, porque Deus está dentro de cada um de nós e despertar é enxergar isso também.

Despertamos quando nos preocupamos verdadeiramente com a Natureza com a qual o Criador nos presenteou e cuidamos dela.

Despertamos quando respeitamos toda vida que há na Terra e fora dela.

Despertamos quando somos o melhor que conseguimos ser, para nós e para o outro.

Despertamos quando vibramos no amor. E o amor, muitas vezes não é emoção, é só consciência.

*A data limite (20.07.2019) foi prevista por Chico Xavier como o final de um período de provações, e seus resultados estão condicionados às escolhas humanas. Também a partir daí, segundo o médium, civilizações extraterrestres teriam autorização para visitar a Terra e se revelarem.

Compartilhar

Flavia Ramires

+ artigos

Formada em Administração, taróloga há mais de vinte anos, praticante de magia natural e terapeuta holística, utilizo os oráculos e a astrologia para fins de orientação pessoal e as técnicas de Apometria Quântica, Hipnose, Regressão e Terapia de Vidas Passadas com o objetivo de desfazer os nós cármicos pessoais, permitindo assim, que o indivíduo possa caminhar no seu processo de evolução sem interferências ao seu livre arbítrio, com uma maior compreensão e aceitação de si.

fone 15 99172-6716

email [email protected]

skype flavia.ramires1

celular 11 98340-0158