por Paulo Bregantin

Encantamento, desencantamento e reencantamento


Sobre encantamentos, desencantamentos e reencantamentos, sim, essas são as fases que nós seres humanos, nesse tempo que vivemos aqui na terra, vamos enfrentar, mas esse enfrentamento não necessariamente passa por nossas decisões e ações, pois essas fases levam sempre em conta o outro, mesmo quando desejamos que não seja assim, assim o é.

Os encantamentos

Os encantamentos são processos da vida que são desencadeados desde os primeiros momentos de vida, pois ao nascer nos deparamos com as novidades, é aí que me refiro a encantamento, sim, são as novidades que nos encantam, pois, o medo, a obscuridade, o não saber o que fazer, as expectativas, as incertezas, os embaraços, as NÃO lógicas nuances da vida, definem os encantamentos.  Encantar-se é então novidade. O novo é o que a vida nos oferece de graça, não obstante, é uma graça que nos acomoda e incomoda. Queremos a todo custo encantar e ser encantado com a vida. Mas, por experiência o encantamento/novidade tem sempre um começo, meio e fim, é assim que é.

O desencantamento

Quando se chega ao fim de um encantamento/novidade, somos levados a um processo na vida que chamaremos de “realidade”, sim, a realidade que os encantamentos findam e, aparecem então dentro dessa realidade vivida o desencantamento. Podemos afirmar então que o desencantamento é o processo de finalização de um encantamento/novidade. É quando o novo se torna chato, obsoleto, desprezível, triste, desgastante, indigesto, etc.

Esse período pode durar um tempo maior que do encantamento, pois é aí onde nascem as saudades do tempo de encantamento e, essa tal de saudade é um bloqueador da busca pelo novo/novidade, enfim, do encantamento. Muitas pessoas são acometidas do desencantamento devido ao excesso de expectativas em si mesmo, no outro ou em algo. A expectativa é um efeito adicional do processo de desencantamento, pois ela é a geradora do estresse que levara a um processo de ansiedade, desembocando, muitas vezes, em um processo depressivo e abatimento, gerando as Neuroses de Angústias.

O desencantamento quando alojado na pessoa pode bloquear mentalmente os desejos e necessidades de busca pelo novo/novidade/encantamento, isso é, a pessoa fica em uma inércia e, ao mesmo tempo presa em forma cíclica não tendo como sair. É uma retroalimentação da época que estava vivendo o encantamento/saudade, com a pseuda-falta de desejo e necessidade. É aí que colocamos em prática o mal que chamamos de julgamento.

Os julgamentos nascem da falta de encantamento, ou seja, dentro do processo de desencantamento. Por termos que sobreviver a esse desencantamento, falta do novo/novidade, colocamos sobre os outros as culpas da nossa tristeza e falta de vontade. Para produzirmos a culpa no outro, começamos a julgar. Todo julgamento tem como base um desencantamento seja com alguém ou alguma coisa vivida.  Nos resta então retomar o terceiro processo que chamei de reencantamento.

O reencantamento

 

O reeencantamento é o processo de entendimento do porque e como aconteceu o desencantamento. Sim, o entendimento, ou seja, a capacidade e preparo de observância das questões que me acometeram são fundamentais para sair do processo de desencantamento e, entrar no processo do reencantamento. O primeiro passo é descobrir que em algum tempo já vivi um encantamento e, isso me fez bem e foi curador para minha alma e meu corpo. Isso posso fazer olhando para meu passado e achando momentos e processos onde o encantamento me fez bem. Segundo passo é entender como coloquei em prática em minha vida o encantamento que vivi no passado, quais foram as ações e reações que tive, como foram as possibilidades que achei para manter o processo de encantamento do passado. Terceiro passo é projetar para o tempo chamado hoje essas possiblidades que verifiquei no passado. As possibilidades que já vivenciei serão de suma importância para iniciar o processo de reeencantamento. Pois é se enxergando que posso traçar novos planos para mim mesmo. E, quando foco em minha vida, não tenho mais necessidade de permanecer julgando os outros e, ficar no processo de desencantamento. Quarto passo é traçar uma linha de conduta para o futuro, usando como base todo o aprendizado e entendimento da época que vivi o processo de encantamento e, desprezar o processo de desencantamento. 

Claro, não existe processo indolor, todos os processos da vida que envolvam mudanças, desafios, decisões, ações, reações, etc, envolverão dores, essas são de ordem física e psíquica, pois a vida por ser evolutiva, mesmo crendo no criacionismo, sim, creio que fomos criados, porém que vivemos sempre em um processo de aprendizagens e mutações evolutivas da própria espécie e mundo físico, mental e espiritual que vivemos. Não existe evolução sem passado, presente e futuro. É fundamental que entendamos nosso passado para quem sabe o porquê estamos aqui no presente e, ao entender o porquê, poderemos traçar planos e criar novas possibilidades para o futuro. 

O reencantamento é o entendimento do porquê e do como cheguei até aqui e quais passos preciso dar para me reinventar e tocar a vida sem sentir muito as dores do passado, onde fiquei parado e bloqueado em meus desencantamentos. Ao buscarmos o reencantamento, podemos, sem dúvida, dizer que o novo pode surgir, sim, o novo/novidade/encantamento é um abstrato para o conhecimento humano, sim, é de uma outra ordem diferente da que conhecemos, não é da ordem dos pensamentos e, muito menos da lógica, pois o novo/novidade/encantamento como foi descrito acima é algo que vem do nascimento e, como sabemos o nascimento é explicado tecnicamente, porém, está longe de saber o porquê estamos aqui e como chegamos, onde chegamos. As perguntas ainda estão aí: De onde vim? Onde estou? E, para onde vou? Entrar então no processo de reencantamento da vida seja nos relacionamentos, na vida profissional, sentimental, etc., pode abrir possibilidades inimagináveis que a vida nos oferece. 

Não sei em que tempo você está vivendo, ou seja, de encantamento, desencantamento ou reeencantamento, porém, posso te garantir que nessa viagem chamada vida todos os processos são cíclicos e todos tem um tempo determinado para iniciar e acabar. O entendimento de cada ciclo pode ajudar muito a sobreviver em paz quando eles acontecerem. E, se já tenho conhecimento de como eles funcionam, posso quando não for do meu agrado antecipar o fim e, quando for do meu agrado prolongar o fim.

Paulo Bregantin

+ artigos

Mais de 25 anos dedicado ao cuidado de pessoas, sendo Psicanalista Clínico e escritor com várias obras publicadas. Atua nas redes sociais como dono, gerenciando a página Paulo Bregantin e o Grupo Psicanálise Integrativa.

facebook /Paulo-Bregantin