por Andrea Pavlovitsch

Quem espera sempre alcança?

Ah, os ditados populares! Tão extensos e contraditórios. Já percebeu como sempre existe um ditado que é o oposto de outro? Por exemplo, “quem espera sempre alcança” que é o oposto de “Deus ajuda a quem cedo madruga”. Enfim, são “sabedorias” pontuais, criadas para um fim, em uma determinada época, para um grupo geralmente pequeno de pessoas e não, não dá para usar isso para tudo. Hoje quero falar da espera, do esperar como uma forma de comodismo. Sim, paciência é uma virtude, claro, mas até ela tem limites.

Esperar, como é isso? O que é esperar? No plano geral, esperar é como sentar. E ficar lá, parado, esperando algo. Que algo caia do céu, que o seu chefe acorde de bom humor e te dê um aumento. Que o seu namorado te peça em casamento ou que pelo menos te assuma para a família. Que aqueles quilos a mais desapareçam misteriosamente, assim como apareceram. Que sua conta bancária crie zeros à direita, da noite para o dia.

Esperança é o nome disso, usado geralmente de uma maneira errada. Esperar não é isso. E nem ter esperanças é isso. Isso tudo foi sempre visto como “o que tiver que ser”, o que também não é verdade.

Sabe o que “tem que ser”? Aquilo que você depositar energia. Qualquer tipo de energia. Pode ser algo que você faça, pode ser algo que você decida e, principalmente, algo que você realmente pense. Não pense como num sonho, como sonhar com uma praia no Caribe numa segunda-feira chuvosa, mas pense em atitudes. E as tome, naturalmente.

Eu posso sonhar. E se posso sonhar, posso realizar, sim, desde que eu saia de um lugar esquisito chamado inércia. Inércia é uma lei da física que diz que todo o esforço para iniciar algo é sempre maior no começo. Assim, um carro queima mais combustível ao dar a partida e sair em primeira, do que quando está rodando feliz, a 100 quilômetros por hora em uma estrada, isso é natural.

O problema é sairmos dessa inércia. É mudar um hábito que seja, para transformar a nossa vida e os nossos dias. É tomar a decisão de ir para a academia, todos os dias, e conseguir fazer isso (brigando com a inércia) pelo menos por um mês. É conseguir dizer não a um docinho depois do almoço, tendo que literalmente resistir até que aquilo perca o sentido. É esperar fazendo, e não esperando.

Se quer um aumento, não adianta dizer para o seu chefe que precisa da grana para comprar uma casa ou que seu filho está a caminho. É preciso fazer mais. É preciso mostrar para ele que você é o prêmio da empresa e que eles ficariam mesmo perdidos sem você. Mostrar fazendo, com atitudes, se colocando e se dando o devido valor por isso.

Precisa se colocar no mundo, na vida e para as pessoas. Trabalhar o seu interior e, principalmente, trabalhar o seu autoconhecimento, para parar de se sabotar e saber onde você realmente quer chegar. É agir, esperar quando necessário, mas sempre colocar a sua energia nas coisas.

Isso não garante que as coisas serão fáceis e nem que vai ser só felicidade. Estamos num mundo que demanda esforço, sempre e em todas as direções. Então, é se colocar nisso. Espere fazendo, e não só esperando.

Andrea Pavlovitsch

+ artigos

Terapeuta porque adora ajudar as pessoas a se entenderem. Escritora pelo mesmo motivo. Apaixonada por moda, dança, canto e toda forma de arte. Adora pão de queijo com café e não pretende mudar o mundo, mas, quem sabe, uma pequena parte da visão que temos dele.