Compartilhar

por Maristela Vallim

Refletindo sobre si mesma

Na entrada do Antigo Templo de Apolo em Delfos, o visitante se deparava com a frase “Conhece-te a ti mesmo”. Este simples aforismo tinha como objetivo levar o indivíduo que buscava ajuda espiritual, a pensar sobre si mesmo.

Mas o que significa conhecer a si mesmo? Parece simples, mas na prática as dificuldades aparecem.

Não basta que o indivíduo conheça apenas suas medidas físicas, como peso, altura, tipo de traje preferido, carro desejado etc. Isto é apenas um conhecimento superficial. O autoconhecimento é algo que vai além das aparências, exigindo reflexão profunda sobre os “porquês”, deste ou daquele comportamento, desta ou daquela preferência.

Muitas vezes, somos levados a nos comportar de acordo com as regras que a sociedade dita ou que a mídia impõe sem maiores questionamentos. Usamos determinada cor de camisa simplesmente porque “está na moda”, frequentamos determinado ambiente porque nos parece mais familiar, ou simplesmente porque alguém que apreciamos sugeriu.

Depois de algum tempo, a angústia toma conta de nós, e não sabemos reconhecer sua origem. De onde vem aquela tristeza? Aquele vazio interior? Geralmente este estado emocional se relaciona com a falta de autoconhecimento. Deixamos nossa vontade de lado para atender outras demandas, que não nos trazem benefícios algum. Ganhamos a admiração alheia, mas perdemos a nós mesmos.

Daí a importância de praticar o autoconhecimento, perguntando sempre:

1) O que me leva a agir desta forma?

2) Costumo refletir antes de agir?

3) Costumo pensar nos pros e contras de meus atos?

4) O que ganho agindo assim? Estes ganhos são relevantes para minha felicidade?

5) O que perco agindo de outra forma? Estas perdas são relevantes?

6) Existem outras formas de ser feliz?

Outras perguntas podem ser acrescentadas à lista, de acordo com a situação vivenciada de cada um. O que importa é que possamos refletir criticamente sobre nossos atos, buscando compreendê-los a fundo. Desta forma teremos consciência dos fatores que corrompem nosso bem-estar emocional, minando nossa felicidade e alegria de viver. Isto é autoconhecimento.

Compartilhar

Maristela Vallim

+ artigos

Psicóloga com atendimento em crianças, adultos e idosos. Áreas de ênfase: Processos de aprendizagem, dificuldade de relacionamentos, depressão entre outros.