por Erickson Rosa

5 Passos para praticar o Autoconhecimento, mas não o que você conhece

O assunto autoconhecimento, normalmente, é tratado como revelar aquilo que está revelado, entender quem realmente nós somos. Porém eu tenho uma concepção que estamos sempre a devir, somos como um rio que é visitado uma segunda vez, ele continua ali, mas suas águas são outras, se modificaram. Dessa forma, estamos sempre mudando e nos modificando. Por que tenhamos estruturas que regem nosso caráter e personalidade, podemos sempre modificar a nós mesmos.

Por isso, o autoconhecimento que proponho aqui é de conhecer o seu funcionamento, como suas emoções e pensamentos operam e de que maneira contribuem para sua realidade. Não de conhecer quem você é, mas, sim, como você opera. Iniciado essa primeira parte vamos começar nesse caminho.

1º - Conheça suas emoções 

A maioria das pessoas não sabe o que sente e não percebe suas emoções. Pessoas assim referem o que sentem a nível de corpo com frases assim: “Sinto um aperto no peito”, “estou sentindo uma sensação ruim", “estou um pouco angustiado”. Frases assim não nomeiam qual emoção a pessoa sente e nem como ela está reagindo emocionalmente diante de um problema. No momento em que aprendemos a conhecer nosso lado emocional, fica mais fácil entender o que está se passando conosco. Se não conhecemos nossas próprias emoções, como poderemos resolver nossos problemas?

2º - Faça terapia 

Ao fazermos terapia, podemos nos confrontar com nós mesmos e com nossos dilemas. Não é uma tarefa fácil, porém é muito recompensadora, por nos mostrar coisas de nosso funcionamento que nem sabíamos. Isso nos promove certa liberdade de ação sobre nós mesmos e sobre as situações em nossa vida. Procurar um psicólogo/psicanalista é sinônimo de coragem e de maturidade para compreender os verdadeiros dilemas que que afligem sua vida.

3º - Expresse o que você sente 

Muitas vezes engolimos nossas emoções e não dizemos como nos sentimos. Sejam emoções positivas ou negativas, calamos ao invés de expressar aquilo que habita em nosso coração. Quando calamos nossas emoções, os reflexos são sentidos em nosso corpo. As emoções não expressas são somatizadas no corpo e então e as doenças aparecem. Por isso devemos sempre expressar o que sentimos. Não importa o que falamos, mas como falamos. É necessário que verbalizemos aquilo que sentimos. Mais uma dica: Diga a quem você ama como se sente todos os dias.

 

4º - Aprenda a perdoar a si mesmo 

Não somos perfeitos e os erros são parte de nossa existência. Ao nos perdoarmos, aprendemos a conhecer nossas falhas e aceitar nossas limitações. Se aceitar é um processo de compaixão consigo e de autoconhecimento. Ao se olhar profundamente, compreende-se que somos seres únicos em nossa manifestação e que temos muito a contribuir com os outros, mas que também precisamos aceitar que necessitamos da contribuição do outro.

5º Conheça suas qualidades 

Há uma grande diferença entre ser convencido e reconhecer suas qualidades. Quando reconhecemos nossas qualidades, sabemos o que fazemos que pode auxiliar o outro e sabemos que nossas qualidades sempre serão multiplicadas ao nos conectarmos com os outros. Ou seja, somos confiantes conhecendo o que nos limita. Já o processo de convencimento é acreditar que somos totalmente suficientes e que não dependemos de ninguém. Ao entendermos que somos pessoas conectadas umas com as outras, estamos aumentando nossa consciência sobre nós mesmos e sobre o que podemos contribuir com o mundo.

Gostou das dicas? Então deixe seu comentário e compartilhe, pois muitas pessoas precisam desses passos para conhecerem melhor suas potencialidades. 

Erickson Rosa

+ artigos

Terapeuta holístico, Mestre Reikiano e formado em psicoterapia holística. Fundador do Coach Matinal e autor do e-book Ansiedade Sem Remédios. Ministra cursos e eventos com temas como a motivação, psicossomática, fisiognomonia e meditação.