Compartilhar

por Erickson Rosa

Autoconhecimento para potencializar nossas capacidades

Muito se fala sobre autoconhecimento, porém o conhecimento popular desse conceito e sua real forma, ao meu ver, têm grandes diferenças. Ao entender a fundo esse conceito de autoconhecimento, podemos realmente mergulhar em nosso ser, entendo quais são as formas de ação e adaptação que nossa mente opera e como podemos fazer para sair de padrões de repetição que produzem sofrimento, para formas de sublimar nossas dificuldades e desafios.

Claro que há etapas nesse processo, que são as que eu gostaria de abordar com você. Conhecer profundamente a nós mesmos não é algo simples. Requer muita coragem e desprendimento para iniciarmos na jornada interior. Por isso, neste texto vou abordar, em três tópicos, a jornada do autoconhecimento.

Buscando o autoconhecimento

Mulher lendo livro sentada em uma janela

O autoconhecimento não é algo fácil e simples de se fazer. Conhecer a si mesmo é mergulhar fundo em sua própria psique, conhecendo seus mecanismos de defesa e seus comportamentos autossabotadores. A busca começa pelo desejo de ampliar sua visão sobre si e sobre o mundo. Esse desejo vem da vontade de superar as coisas que dificultam seu caminhar pelo mundo e por uma certa consciência e responsabilidade de que você é o autor de sua história e que, apesar de muitas coisas e acontecimentos não estarem sobre controle, a forma que você reage pode ser uma escolha consciente e lúcida.
Ao decidir por essa busca, estaremos cientes que o desafio é profundo, mas enriquecedor.

Buscando auxílio para se conhecer

Diferente da visão romântica que se tem sobre a descoberta de si, autoconhecer-se é uma tarefa cheia de desafios e obstáculos a serem superados. É por isso que muitas vezes precisamos de ajuda para podermos avançar. De maneira geral, é necessário alguém de fora, que tenha uma escuta qualificada, apontar nossos pontos cegos. Afinal, se conseguíssemos ver nossos comportamentos autossabotadores, eles não agiriam em nossa vida.

Você também pode gostar:

Essa escolha é muito importante, pois você irá falar sobre suas dores, suas dificuldades e desafios. Compartilhará suas alegrias e felicidade, e espera que essa pessoa ajude você em sua caminhada. Essa escolha deve ser feita em dois momentos: o primeiro é que a decisão por um psicólogo, psiquiatra, terapeuta ou analista deve ser inteiramente sua. Somente você sabe o momento certo de buscar ajuda e se precisa ou não dela. O segundo é a escolha por uma pessoa qualificada, que tenha uma escuta apreciativa, que não te julgue por nada e que te auxilie a ampliar sua visão sobre si e sobre o mundo.

Benefícios de se conhecer verdadeiramente

Mulher se olhando em um pedaço de espelho

Os desafios e obstáculos, quando sublimados, viram as potências que não enxergamos. Quando uma pessoa que tem dificuldade em seus relacionamentos se descobre, ela pode encontrar uma grande capacidade empática de entender o outro. Nossos traumas contidos em nossa história muitas vezes escondem as nossas maiores potencialidades. Isso ocorre porque é nesses pontos de nossa psique que reside a maior quantidade de energia investida.

Se pararmos para buscar verdadeiramente o autoconhecimento, entendendo os desafios que estamos para enfrentar, iremos encontrar uma forma mais livre de viver. O encontro dessas capacidades gera mais benefícios para você e para as pessoas que convivem com você. Sei que é você que deve se permitir essa busca, mas não negue a si mesma e ao mundo conhecer sua verdadeira potência.

Compartilhar

Erickson Rosa

+ artigos

Psicólogo clínico laureado pela PUCRS. Atende crianças, jovens e adultos. Palestrante sobre a temática do inconsciente.