Compartilhar

por Paulo Bregantin

Como funciona o finito e infinito dentro de nós

Eu por exemplo creio que o ser humano é dividido em quatro partes interligadas, ou seja, corpo/mente e alma/espírito. O inconsciente coletivo (de Jung), creio que seja ele que você está se referindo, está muito mais ligado ao corpo/mente do que a alma/espírito.

Quando consigo definir isso, ou seja, o ser humano, fico mais tranquilo em analisar as questões relacionadas ao mesmo.

O corpo e a mente são retroalimentados com os pensamentos, reflexões e sensações, é aí que vem o inconsciente coletivo, tudo que nos foi introjetado reflete no corpo e na mente. É preciso desenvolver o autoconhecimento para saber quem sou de verdade. O ideal para isso é uma avaliação minuciosa do passado e referências passadas em nossas vidas. Pois a introjeção, gera identificação e com isso as projeções, ou seja, o que somos para nós mesmos e para os outros.

A alma/espírito são as emoções e as pacificações, aí tem muito mais com o infinito do que com finito, onde estão contidos o corpo e a mente.

No corpo e na mente somos regidos particularmente e, na maioria das vezes, por nossa razão. Por isso, a maioria das doenças psicossomáticas estão relacionadas com o corpo e a mente e não a alma e o espírito.

Quando estudamos o ser humano, em geral ou, na forma antropológica, percebemos que somos iguais na maioria das ações, logo, se me entendo consigo entender o outro. Porém, isso não significa que entenderei as reações, pois elas são de outra ordem, sim, da ordem do infinito (alma/espírito). Conhecemos pouco sobre isso, essa ordem alma/espírito, mas se consigo dar esse passo, que é a permeabilidade entre corpo/mente e alma/espirito, abro caminho para o autoentendimento que envolve a alma/espírito. Sendo assim, posso afirmar que o autoconhecimento é da ordem do corpo e da mente, enquanto que o autoentendimento é da ordem da alma/espírito. 

Como misturamos "tudo" não nos apercebemos das situações e pessoas que estão a nossa volta. Por isso, buscamos respostas rápidas e certeiras, porém, somos seres finitos (corpo e mente) e infinitos (alma e espírito). Sem entender isso navegamos em mares desconhecidos e, não alcançamos nossas reais questões da vida, ou seja: De onde vim? Onde estou? E, para onde vou? Somente uma permeabilidade entre os mundos finitos e infinitos que poderemos chegar as respostas desses questionamentos. Sim! Finito e infinito. Aí está o ponto que por vezes não conseguimos entender.

Somos duas partes interligadas, formando um todo, porém esse todo está ligado a um tudo (Deus e os outros). Somos então, um todo, dentro de um tudo. Ligados no passado, presente, futuro e eternidade. O Inconsciente coletivo está dentro do todo, porém com influência do tudo. A oração é uma forma de permeabilidade entre o corpo/mente - alma/espírito.

Compartilhar

Paulo Bregantin

+ artigos

Mais de 25 anos dedicado ao cuidado de pessoas, sendo Psicanalista Clínico e escritor com várias obras publicadas. Atua nas redes sociais como dono, gerenciando a página Paulo Bregantin e o Grupo Psicanálise Integrativa.

facebook /Paulo-Bregantin