Compartilhar

por Erickson Rosa

Como utilizar a fala para o controle emocional

Dando continuidade aos textos sobre o controle emocional, hoje falaremos sobre como a fala pode ser utilizada a nosso favor para desenvolvermos um controle emocional. Mas como? A fala reflete o que se passa em nossa mente e o que estamos expondo para o mundo. Se treinamos nossa mente, nossa fala muda; mas, também, o contrário é verdadeiro. Se treinamos a fala, nossa mente também se beneficia dessa mudança. A mudança na forma que utilizamos a fala também modifica a maneira que nossa mente se relaciona com nossas emoções. 

Por isso, nesse texto abordarei as 3 formas de utilização da fala que diminuirão situações de estresse e ajudarão você a lidar com as situações que geram o descontrole emocional. As 3 formas que abordaremos aqui te ajudarão a falar adequadamente e a gerir de maneira mais assertiva a sua energia da fala. Vamos a essas 3 formas. 

Cultivar o silêncio 

Mais do que falar, primeiro precisamos aprender a valorizar o poder da fala. Freud descobriu que a fala pode curar. Por meio dessa descoberta, deu-se início a psicanálise. Isso demonstra o poder que a fala possui. Entretanto, utilizamos a fala sem valorizar todo seu potencial. Ao cultivarmos o silêncio, criamos um espaço de reflexo em nosso interior, sem sermos reativos ao primeiro impulso de falar. Na tradição budista compreende-se essa como uma atitude de eliminar a fala inútil. Inútil no sentido de falas que só produzem problemas e dificuldades. 

A fala pode ser poderosa, mas quando mal utilizada gera mais problemas que soluções. Por isso, devemos cultivar o silêncio de maneira a falar somente quando temos a certeza de que não construiremos mais sofrimento. O primeiro passo da fala é o silêncio. 

Saiba como controlar suas emoções

Não agressão 

A palavra possui força. Já vimos essa afirmação. Imagine a força que possui uma agressão verbal. Ao agredirmos o outro com palavras, criamos em nossa mente um caminho. Na neurologia se diz que um comportamento repetido gera um hábito. Assim, você se torna refém do hábito de agredir o outro. Ao agredir com palavras, dificultamos nosso caminhar no mundo, pois ninguém gosta de ficar perto de alguém agressivo. Então, evite de qualquer forma agredir usando as palavras. Primeiro porque, ao ferir o outro, você aumenta sua raiva, treina a responsividade à agressão do outro, não deixando que o espaço entre sua ação e o pensar exista. Se não damos esse espaço, estamos sempre ansiosos e sem controle emocional, pois nossas emoções respondem às situações. Essa agressão também se estende à agressão a si mesmo. Se você se ofende e se agride com as palavras, gera diminuição de sua autoestima e isso faz com que tenha menos cuidado com você. 

Aprenda a quebrar os padrões que criaram em você

Expressão interna 

A fala também é nossa expressão interna, nossa maneira de manifestar o que carregamos em nosso interior. Precisamos aprender a nomear nossas emoções, sensações e sentimentos. Enquanto não soubermos o nome daquilo que sentimos, continuaremos angustiados. Na psicanálise se compreende que é preciso nomear os sentimentos, caso contrário, eles dominam você. Nada mais difícil que sentir algo sem saber o que é. Ao nomearmos, podemos olhar para aquilo que, até então, não tinha nome. A angústia é nomeada e o controle emocional se torna possível, pois agora nomeamos nossas emoções. Por isso, temos de ter a expressão interna, que é conhecer nossas emoções. Saber o que é o medo, a ansiedade, a raiva e a frustração. Ao sabermos que emoções são essas, podemos alcançar um equilíbrio emocional. 

No próximo texto falaremos sobre nossas ações e como podemos utilizá-las para alcançar um equilíbrio emocional. 

Leia mais: Como lidar com emoções pertubadoras

Compartilhar

Erickson Rosa

+ artigos

Psicólogo clínico laureado pela PUCRS. Atende crianças, jovens e adultos. Palestrante sobre a temática do inconsciente.

site www.coachmatinal.com.br

email [email protected]

celular (51) 99543-3715