Compartilhar

por Helyete Santos

Discussões e conflitos

Escuto pelas ruas muitas frases cruéis, despidas de afeto e doçura, até ridículas por serem tão ofensivas. Falam provocações àquelas outras pessoas que se encontram distantes como se elas pudessem ouvir e sentir todas as mágoas dos lixos espalhados sem dó pelas ruas e jardins, becos e praias. Não riem das coisas engraçadas, nem choram das tristezas. Seria o óbvio. Esquecem e confundem sentimentos transformando-os em descaso. Uma guerra sem causa. Tiros dispersos e balas sem alvo acertando inocentes.

Mas, o pior e mais triste é saber que esses cenários envolvem seus lares. Homens e mulheres que um dia se amaram e juraram amor eterno envolvido em respeito verdadeiro. Filhos esquecidos, assim como pais dedicados hoje sozinhos e deletados em seus verdadeiros papéis dentro da família.

E não é que muitos preferem discussões e conflitos semeados enfaticamente para se tornarem grandes mestres e autores do ódio?

Para tanto, é só rever os problemas do passado e, certamente, teremos temas mil ardendo pelos rodapés dos livros horríveis de autores sem arte.

Sabe o afeto? Aquele sentimento que todos, sem excessão, trazemos na alma? Certamente, dentro desse contexto, apodreceria junto a ela, a nossa alma. A gente esquece que um dia fez parte da Criação Divina.

Compartilhar

Helyete Santos

+ artigos

Sou paulistana. Atualmente, moro na cidade de Santos. Atuei como professora de Redação e tenho vários livros publicados sobre técnicas redacionais, como Pais e Filhos Entre Erros e Acertos Editora Edicon. Escrever traz à tona o modo sensível de se viver.