por Paula Teshima

A armadilha da espiritualidade

Não podemos ser somente materialistas ou somente espiritualistas. É preciso encontrar um ponto de equilíbrio.

O ideal é termos, diariamente, 50% de atividades materialistas e 50% de atividades espiritualistas para sermos felizes, prósperos e plenos. No entanto, nem sempre conseguimos equilibrar essa balança. Sempre acabamos focando mais em um dos lados e menos no outro lado. Neste caso, temos que ficar atentos para não ultrapassarmos o limite máximo de 70/30. Ou seja, focar no máximo, 70% de um lado e 30% do lado oposto. Senão, diversas áreas de nossas vidas ficarão muito prejudicadas.

Estamos encarnados aqui na Terra com o propósito básico de curar os aspectos inferiores da nossa alma. Quando uma pessoa começa a buscar e estudar a espiritualidade de uma maneira excessiva, poderá melhorar muito sua personalidade, encontrar respostas, descobrir sua missão de vida, mas, também, poderá estar camuflando certos aspectos.

A Terra é um planeta rodeado de vibrações mais densas, por isso, faz com que os nossos chacras inferiores sejam ativados para que tenhamos a chance de curar os traços negativos da nossa personalidade. Como que uma pessoa que decide focar demais no lado espiritual conseguirá curar o que veio trabalhar?

Se você decidir ficar só focado na luz, o que você está fazendo aqui ainda? É muito melhor retornar à sua verdadeira morada, que é no plano astral superior. Lá, existem várias escolas que te ensinarão a entender completamente o lado espiritual.

Se você é uma dessas pessoas que não quer, de jeito nenhum, assistir filmes de suspense e noticiários, não quer conviver com pessoas ignorantes, não quer ficar no meio da multidão… É porque, provavelmente, existe algum bloqueio que você mesmo criou nesta vida. Pode ser uma maneira de não enxergar as coisas ruins que você vê nos outros, e que existem ainda dentro de você. Ou, se você passa mal, é porque você precisa aprender a se proteger energeticamente. Ou ainda, você não quer ver como a vida é dura, como as pessoas sofrem, porque você não consegue lidar com o sofrimento alheio, com as injustiças e com as misérias.

Obviamente, é preciso utilizar o bom senso em tudo. Por exemplo, para cada filme de suspense, assista um que traz uma elevação de consciência, uma sabedoria ou uma luz. Faça isso, desde que você pratique uma limpeza energética no seu corpo e no seu ambiente, e depois se sinta bem.

Não prive as suas vontades. Quando você fala que não quer tal coisa, se pergunte: “Mas por que não quero isso? O que estou tentando evitar de ver? Qual o sentimento ruim que me aflora? Será que o problema é a situação, ou sou eu que não sei lidar com isso?”. Afinal, precisamos conviver com diversas situações, boas e ruins, para termos experiências e aprendizados.

Portanto, se você está reencarnado em um corpo material, significa que você aceitou o desafio de colocar em prática tudo o que aprendeu no período entre vidas. As coisas materiais existem não somente para nos manter vivos, mas também para fazermos a nossa reforma íntima e encontrarmos a verdadeira felicidade, paz e amor incondicional. 

Paula Teshima

+ artigos

Escritora, Terapeuta Holística, Especialista na Espiritualidade dos Animais, Mestre em Reiki, Karuna Ki e diversos sistemas vibracionais, Espiritualista Universalista há mais de 7 anos. Autora de 5 livros na área de Espiritualidade e Desenvolvimento Pessoal. Ama os animais, a natureza e práticas meditativas.