Compartilhar

por Erickson Rosa

A liberdade da nossa mente

No momento em que sentimos uma grande dor e passamos por dificuldades, pode parecer que estamos presos e que todas as coisas são fixas e sem saída. Mas temos uma liberdade natural em nossa mente e, se reconhecermos essa capacidade livre, poderemos rapidamente sair de nosso sofrimento.

Por maior que seja a dor que está nos inundando, podemos manifestar nossa liberdade e ver que o sofrimento é um engano de nossa mente.

Impermanência

Mulher com mãos nos cabelos de lado com luz refletindo

Pense em quando era uma criança. Não existe nada que seja igual em você nesse momento. Você mudou porque a natureza da realidade é a impermanência. Nada dura para sempre. Todas as coisas têm um momento de duração e cessação.

Todos os momentos de nossa vida também são impermanentes. É como um sonho que passa. Nossa vida toda é assim. Por isso, se estamos em sofrimento, podemos entender que essa dor também é impermanente. Ela não dura para sempre.

A impermanência é a natureza da realidade. Tanto é que nossos esforços são sempre no sentido de manter as coisas funcionando, lutando contra a impermanência. Nossa própria vida é assim. Temos um tempo finito em cada momento da vida, que cessa e que se inicia novamente.

A liberdade da mente é poder ir de momento a momento. Por isso, mudamos a cada instante. Mudamos quando crescemos, quando trocamos de trabalho, quando olhamos de maneira diferente para as coisas. Esse olhar é nossa mente criando a realidade que vivenciamos.

Mente que cria

Mulher sentada com caneca na mão e céu azul com nuvens ao fundo

A dor acontece quando o estímulo não está de acordo com o referencial interno que carregamos. Toda vez que queremos que algo se apresente de determinada forma e nossa expectativa é quebrada, o sofrimento surge. Se desejamos algo e nossa mente cria a expectativa, isso pode gerar nossa dor.

Se nossa mente é capaz de criar a dor, também pode fazer-nos sair dela. Se entendermos que a nossa expectativa é formada pela maneira como olhamos a realidade, entenderemos que temos um aspecto interno que gera essa forma de olhar.

Por exemplo, se achamos que bom mesmo é viver em uma casa com muitos cômodos, construiremos a ideia de que viver em uma casa menor é algo ruim. Essa construção do ideal gera em nós o sofrimento quando não atingimos essa expectativa.

A liberdade da mente é entender que podemos nos movimentar para além do sofrimento e das expectativas que o geram. Podemos ampliar nossa visão. Quando falo sobre ampliar a visão, é como uma criança que não sabe ler e nem escrever. Ela olha as letras e sabe que há algo ali, mas não consegue decifrar. Quando amplia seu conhecimento, ela consegue decifrar as letras e ampliar seu mundo e sua visão.

Você também pode gostar:

Da mesma forma que uma criança penetra no segredo das letras, precisamos nos aprofundar em nossa própria mente. Olhar para a liberdade que temos e verificar como construímos prisões de sofrimento e como podemos também sair delas. Se nossa mente sofre e, depois de um tempo, sai desse sofrimento, isso significa que a impermanência também afeta nossa mente e nossa visão da realidade.

Se nos aprofundarmos mais nesse aspecto da impermanência e na liberdade de nossa mente, entenderemos que o sofrimento é construído por nossa mente, que, com o tempo, desconstrói essa prisão. Ao olharmos para esse aspecto, entendemos que, estudando nossa mente, podemos eliminar o sofrimento.

Compartilhar

Erickson Rosa

+ artigos

Psicólogo clínico laureado pela PUCRS. Atende crianças, jovens e adultos. Palestrante sobre a temática do inconsciente.