Compartilhar

por Equipe Horóscopo Virtual

Existe mesmo um 13º signo?

Há pouco tempo, a NASA divulgou um artigo no qual especificava a existência de outra constelação que não foi considerada para o surgimento dos signos solares. Logo, se existe outra constelação, existe também mais um signo!

Este signo entraria entre Escorpião e Sagitário, e mudaria a data de início e fim de todos os signos. Então, com essa mudança, seu signo poderia, sim, mudar! Mas, afinal, esse 13º signo realmente existe? O Horóscopo Virtual está aqui para te explicar.

O Zodíaco foi criado e estruturado há mais de três mil anos, pelo povo babilônico. Naquela época, já existia, sim, uma 13ª constelação (chamada de Ophiuchus, ou Ofiúco, em português), que foi deixada de fora propositalmente pelos babilônios, que criaram os 12 signos e os dividiram entre os 12 meses do ano.

Além disso, há mais um fator explicado pela NASA que ajudaria a mudar tudo: o planeta Terra possui uma posição no universo, e essa posição mudou, se comparada a do tempo da Babilônia.

E como se já não bastassem esses dois motivos (a 13ª constelação e o posicionamento planetário da Terra), há ainda um terceiro argumento que também faria com que os dias de início e fim de cada signo mudassem drasticamente: o tamanho de cada constelação.

As constelações são de tamanhos diferentes. Portanto, de acordo com a NASA, o Sol não demora tempos iguais para passar por cada uma delas. Foi ignorado pelos babilônicos – e pelo resto do mundo até hoje – que a linha da Terra pelo sol aponta para Virgem por 45 dias e para Escorpião apenas sete dias, e diferenças grandes como essa acontecem com praticamente todos os signos. Ou seja, bem diferente do que consideramos hoje (em média 30 dias para cada signo).

Sendo assim, existem três fatores que levariam a crer que existe um décimo terceiro signo: a constelação Ofiúco que foi ignorada, a mudança no posicionamento da Terra e o alinhamento do sol com cada signo, uma vez que cada constelação possui um tamanho diferente.

E se de fato considerássemos esses três fatores, os signos seriam divididos da seguinte forma:

Áries: 18 de abril a 13 de maio

Touro: 13 de maio a 12 de junho

Gêmeos: 21 de junho a 20 de julho

Câncer: 20 de julho a 10 de agosto

Leão: 10 de agosto a 16 de setembro

Virgem: 16 de setembro a 30 de outubro

Libra: 30 de outubro a 23 de novembro

Escorpião: 23 de novembro a 29 de novembro

Ofúcio: 29 de novembro a 17 de dezembro

Sagitário: 17 de dezembro a 20 de janeiro

Capricórnio: 20 de janeiro a 15 de fevereiro

Aquário: 16 de fevereiro a 11 de março

Peixes: 11 de março a 18 de abril

Mas, mesmo com toda essa explicação da NASA para com relação o Zodíaco, é preciso entender que não, o Zodíaco não muda, mesmo com os três motivos ditos por eles. Na realidade, a NASA não teve a intenção de mudar nada para a astrologia, uma vez que eles estudam a astronomia. O que fizeram, no entanto, foi apenas constatar algumas mudanças no posicionamento da Terra e explicar a real divisão de tempo do sol entre os signos, quando considerado o tamanho das constelações.

Porém, a astrologia nunca considerou o tamanho das constelações para fazer a divisão do tempo da transição do sol em cada signo. Os signos são símbolos, cada qual com sua energia e características.

Em relação à constelação Ophiuchus, ela é conhecida desde a Antiguidade, mas como seu posicionamento é afastado do restante da eclítica (o círculo imaginário que forma a esfera do Zodíaco), ela foi desconsiderada.

E, mesmo para aqueles que pensam em considerá-la, seu símbolo é uma cobra, que muito tem a ver com Escorpião, um animal que troca de pele e, em suas características, seguiria o mesmo princípio para a astrologia. Por isso, não faz sentido mudar o Zodíaco já conhecido, estudado e comprovado astrologicamente.  

Então, pode ficar tranquilo(a), porque seu signo não mudou!

Compartilhar

Equipe Horóscopo Virtual

+ artigos

Site esotérico completo que reúne conteúdos como astrologia, numerologia, mapa astral, runas, tarot e diversos. Serviço de consulta rápida e prática ao horóscopo diário, semanal, mensal e anual.