Compartilhar

por Cássia Marina Moreira

Inveja branca

Isto existe mesmo? Melhor começar com o que é inveja. Segundo nosso estimado Aurélio Buarque de Holanda Ferreira, no minidicionário, diz o seguinte: aqui temos duas das definições dadas por ele.

1. Desgosto ou pesar pelo bem ou felicidade de outra pessoa.
2. Desejo violento de possuir o bem alheio.

Bem é assim que tudo começa. Com o desejo de ser o dono daquilo que pertence a outra pessoa.

O mais interessante de saber é que foi Santo Agostinho o primeiro quem elaborou uma frase que dá uma ideia bem “atraente” de inveja, está em Latim – o que anda bem na moda ultimamente : Video, sed non invideo, ou seja, vejo, mas não in-vejo. A inveja tem nexo com o ver. “Se vejo, posso invejar”. “Se vejo, devo não in-vejar”. Ver e não invejar seria o mérito daquele que vê. Ora, a inveja nasce do desejo de se ter o que o outro tem! Esta pauta foi tema na revista Vida Simples em dezembro de 2006. 

Confuso? Nem tanto! Vou contar de onde ele tirou isso. Foi da observação de Santo Agostinho, que percebeu pela primeira vez a vinculação da inveja com a constituição primeira do ser humano. 

Escreve ele sobre a inocência dos pequeninos que logo de primeira mão ambiciona os seios da mamãe, e depois quando um pouco mais velho percebe o irmão menor se tornar o dono dos seios que eram seus e imediatamente é tomado pela inveja. Foi assim que a inveja acabou sendo descrita.

Agora vamos voltar para a inveja nossa de cada dia. Se a inveja nasce do desejo de ter algo que o outro tem e eu não, será mesmo que a cor importa?

Colocar cor na inveja irá deixá-la melhor? Como assim? 

Parece-me que não importa a cor. A meu ver não necessariamente é querer algo material que o outro possua, penso que bem pode ser uma forma de ser deste outro ser. O como ele - este outro - encara a vida, o como “leva” a vida. Por vezes esta leveza com que é capaz de viver as coisas do dia a dia; pode bem deixar alguém com uma inveja danada.

A meu ver não existem muitos tipos de inveja, existe sim muitas coisas para se invejar além dos bens matérias que os outros possuem. 
Então vamos lá... como resolver este problema? Inveja é um problema? Ele tem mesmo solução? Precisa de solução? Bom, cada qual precisará pensar muito a respeito se quiser aprender sobre a sua, e decidir depois se vai deixá-la de lado ou não.

Espumar de raiva e inveja atrapalha a vida, azeda o dia e com o tempo até a alma. Vai fazendo parte da vida diária e só pode trazer coisas ruins. Então como vemos não importa a cor. 

O certo é que é por isso mesmo que é bom ter cuidado com ela!  

O Sistema das Essências D´Água pode nos ajudar a encontrar o controle e a maturidade necessária para parar e pensar na inveja que está em todos nós, e assim, conseguirmos negociar com ela. Para saber mais www.essenciasdagua.com

Compartilhar

Cássia Marina Moreira

+ artigos

Psicóloga com especialização em Terapias Florais. Autora dos livros “Águas que transformam - conheça as essências vibracionais da natureza” e “Essências Vibracionais D'Água”.

site essenciasdagua.com

facebook Essências Vibracionais D'Água

email [email protected]

skype Cassia_Marina