Compartilhar

por Andrea Pavlovitsch

Posicionamento é tudo na vida

Atendi uma moça que estava apaixonada por um rapaz. Eles tinham tido um romance, mas ele não queria assumir um compromisso sério. Ela ia e voltava, sofria, ele voltava com uma tal “namorada”, ficava com outras mulheres e ela sofria. Até o dia em que ela simplesmente se encheu e falou: “Ou você namora comigo, ou nada”. 

Na hora, ele disse que não queria namoro e foi embora. Ela chorou, ficou triste, mas manteve sua posição. Apagou o número dele, comprou uma garrafa de vinho e marcou de ir pra uma festa de Carnaval. Um dia antes da festa, ele a procurou. “Quero ficar com você, vamos namorar”. E eles estão juntos e felizes, até hoje.

O que aconteceu aqui? Ela se posicionou. Ela disse o que queria e pediu que ele tomasse a decisão dele. Mesmo quando ele disse que não, ela manteve sua atitude de posicionamento. E ela mesma me disse que, se ele não tivesse voltado, ela não o procuraria mais.

Às vezes, é melhor perder para sempre do que ter de uma forma ruim, tosca, esquisita ou pior, que gere sofrimento. Aliás, é impossível que não gere sofrimento e quem não está disposto a perder, não tem como ganhar.

Isso é válido para qualquer coisa na vida. Claro que precisamos de análise e parcimônia. Não adianta também você virar para o chefe, ganhando um salário de gerente, por exemplo, e dizer que só fica na empresa se ganhar igual ao presidente. Não é disso que estamos falando, mas de sabermos o que queremos e de deixarmos claro o que não nos parecer justo.

Ninguém comete injustiças com quem não permite. É uma questão de limites. Se você acha que algo o incomoda, precisa se expressar, se comunicar. Muitas vezes, o outro nem mesmo sabe que está incomodando ou que você não gosta de determinada coisa e isso é complicado.

Mas, algumas dicas. Antes de falar alguma coisa, analise e pense bem. Avalie a situação do seu ponto de vista e do que acha realmente justo para si mesmo. Quando se posicionar, tenha em mente que tudo pode dar muito certo ou muito errado. Pegando o exemplo acima, a moça poderia ter perdido o rapaz para sempre – mesmo sabendo que não era daquele jeito que ela queria que as coisas ficassem. Se você estiver disposto a perder, então, é só ir em frente.

Tenha coragem de pedir o que você precisa e quer, mas tenha humildade de saber que o outro pode não querer ou nem mesmo pode realizar aquilo naquele momento. Por exemplo: seu chefe pode achar justo que você receba um aumento, mas as finanças da empresa não permitem. Mesmo assim, coloque-se e, se for o caso, procure um novo emprego. 

Na realidade, o posicionamento é comunicado ao outro, mas ele serve mesmo é para a gente. Quando dizemos para nós mesmos “chega”, é chega. E sua palavra precisa ter força e poder, ser falada de forma clara e específica e só uma vez. Assim, podemos organizar a nossa psique e ir em direção, verdadeiramente, aos nossos sonhos.

Compartilhar

Andrea Pavlovitsch

+ artigos

Terapeuta porque adora ajudar as pessoas a se entenderem. Escritora pelo mesmo motivo. Apaixonada por moda, dança, canto e toda forma de arte. Adora pão de queijo com café e não pretende mudar o mundo, mas, quem sabe, uma pequena parte da visão que temos dele.