Compartilhar

por Erickson Rosa

A autossabotagem e a busca pela perfeita felicidade

Pode parecer contraditório, mas você sabia que ao tentar buscar a felicidade de maneira incessante, podemos estar nos sabotando? Exatamente, sei que pode parecer estranho, mas nesse texto irei falar sobre como isso acontece e como não cair nessa armadilha.

Busca pela perfeição

De maneira geral, nos movemos buscando a felicidade por meio de um aspecto de gosto e não gosto, ou seja, quando as situações são favoráveis, estamos felizes e alegres, mas quando não são assim, ocorre o sofrimento. 

Desse modo, estamos sempre perseguindo a felicidade, como um lugar onde não há sofrimento e nem problemas. Quando manifestamos o desejo de alcançar uma determinada situação, acabamos caindo na armadilha do sofrimento. Se não atingimos nosso objetivo, sofremos; se o atingimos, acabamos precisando manter esse objetivo para não perdermos a felicidade. Isso significa que nossa felicidade está fixada em objetos internos e não em nossa própria energia interior. 

Além disso, podemos nos sabotar ao criarmos a ilusão de uma felicidade perfeita, de uma situação perfeita. Isso pode se dar em vários setores de nossas vidas. Pode ser que você idealize uma relação perfeita (lembrando que a relação ter problemas não é a mesma coisa de uma relação abusiva), um trabalho perfeito, uma profissão perfeita, etc. 

3 passos para controlar a energia que gera a felicidade

Ao considerarmos que há uma relação perfeita, sofremos muito mais quando ela não ocorre. O sofrimento toma conta de nós ao nos depararmos com situações desfavoráveis em nossas vidas. Nossa expectativa está em desacordo com a realidade e não pode ser suprida.

Felicidade e sofrimento juntos: DUKA

Em Tibetano, existe uma palavra chamada DUKA. Essa palavra não tem tradução para o português e significa que o sofrimento e a felicidade são inseparáveis. Sofremos, inevitavelmente, quando idealizamos algo acreditando que, quando atingirmos determinada situação, estaremos completamente realizados. Essa idealização é frustrada quando nos deparamos com os problemas e isso no gera mais sofrimento.

Como lidar com DUKA

Precisamos entender que o sofrimento sempre irá aparecer em nossas vidas, pois sempre existirão situações difíceis que teremos de enfrentar. Podemos escolher, entretanto, por quais situações iremos sofrer e ser felizes. Se dermos significado àquilo que fizermos, passaremos pelas adversidades de maneira natural. 

É necessário considerar que o sofrimento e a felicidade andam juntos e que as coisas são impermanentes, ou seja, não duram para sempre. Dessa maneira, quando os problemas acontecerem, não precisamos sofrer, mas entender que coisas boas e ruins coexistem em nossa realidade.

Entenda a origem do sofrimento

Nadar com tubarões pode parecer terrível, mas se escolhermos uma ilha que vale a pena ir, poderemos nadar com vontade, mesmo que signifique passar por alguns tubarões. O significado que atribuímos às nossas ações e às nossas vidas gera em nós a força para superarmos obstáculos e aproveitarmos os momentos de felicidade. Quando fazemos as coisas com o objetivo maior do que nós mesmos, podemos viver uma vida feliz. Isso não significa viver uma vida sem sofrimento, mas sim com significado. 

Muitas pessoas vivem uma vida difícil, mas com muito significado, e isso as faz felizes. Atribuir significados às nossas ações gera um propósito de vida. Quando temos um propósito de vida, o sofrimento passa a ser apenas um pequeno obstáculo, por isso busque uma vida com significado e com propósito para que consiga superar o sofrimento. 

Compartilhar

Erickson Rosa

+ artigos

Terapeuta holístico, Mestre Reikiano e formado em psicoterapia holística. Fundador do Coach Matinal e autor do e-book Ansiedade Sem Remédios. Ministra cursos e eventos com temas como a motivação, psicossomática, fisiognomonia e meditação.