Compartilhar

por Erickson Rosa

A habilidade para reduzir a ansiedade

A ansiedade e o estresse fazem parte de nossa vida e de nosso cotidiano. A ansiedade é um sentimento usual que todo ser humano possui, em maior ou menor grau. A ansiedade nada mais é que um mecanismo de defesa, pois serve para proteger você de possíveis ameaças que podem lhe prejudicar. Assim, quanto maior seus pensamentos de perigo ou ameaças, maior será sua ansiedade, porque nossa mente tende a se preparar para quaisquer ameaças que surgirem, como uma forma de se antecipar ao perigo. 

Mas por que algumas pessoas têm mais ansiedade que outras? 

Alguns fatores podem ser considerados biológicos, mas uma característica presente em todas as pessoas que sofrem mais de ansiedade é a necessidade de controle. Quanto maior for a necessidade de controlar a realidade e a incapacidade de lidar com situações que sejam inesperadas ou incontroláveis, maior será sua ansiedade e estresse. 

Mas qual habilidade podemos desenvolver para reduzir a ansiedade e o estresse? A habilidade de respirar. Claro que todas as pessoas sabem respirar, mas não de uma forma que reduza a ansiedade. Para reduzir a ansiedade, precisamos diminuir a quantidade de oxigênio e aumentar a de gás carbônico. Isso porque, quando estamos ansiosos, a nossa oxigenação aumenta e faz o nosso corpo aumentar a energia e levar mais sangue para a musculatura, estamos no modo de luta ou fuga. 

Entretanto, se equilibrarmos a respiração, também haverá o equilíbrio químico do organismo, desacelerando-o e retornando ao estado de relaxamento. A forma de trazer esse equilíbrio é de aumentar o gás carbônico e diminuir a oxigenação que a ansiedade gera, pois quando estamos ansiosos, o sistema simpático é acionado. Para acionar o sistema parassimpático, responsável pelo relaxamento e pelo sono, precisamos aumentar a quantidade de gás carbônico no organismo. 

Mas como fazer isso? 

Primeiro, saiba o que não fazer... Quando tiver uma crise de ansiedade, NÃO respire fundo. Isso aumentará a quantidade de oxigênio que entra em seu organismo, aumentando o funcionamento do sistema simpático. O ideal é deixar a mão em forma de concha e colocar na boca e no nariz, respirando o ar que sai. Isso aumenta a entrada de gás carbônico e aciona seu sistema parassimpático, diminuindo sua ansiedade. 

Outra maneira é controlar a entrada e saída do ar, fazendo com que sua inspiração seja menor que sua expiração, ou seja, que a entrada de ar seja menor que a saída. Isso faz seu organismo ter menos entrada de oxigênio, equilibrando o excesso que gera o desequilíbrio e a ansiedade. 

Claro que essas são técnicas paliativas que te auxiliam durante uma crise. Elas não te trazem uma solução definitiva, mas te ajudam a enfrentar uma situação de crise, por exemplo. Nesse outro artigo que escrevi, falo mais sobre como controlar sua ansiedade. 

Finalizo este texto com uma informação importante: a ansiedade é um estado e não uma condição permanente. Você não é sua ansiedade, você não é ansioso(a), você só está com sua ansiedade ativada em determinados momentos. Por isso, liberte-se dessa identidade e comece a viver para além da ansiedade. Há muito mais em você que um único estado. 

Compartilhar

Erickson Rosa

+ artigos

Terapeuta holístico, Mestre Reikiano e formado em psicoterapia holística. Fundador do Coach Matinal e autor do e-book Ansiedade Sem Remédios. Ministra cursos e eventos com temas como a motivação, psicossomática, fisiognomonia e meditação.