Compartilhar

por Erickson Rosa

Aceite TODAS suas emoções

O ser humano tem uma mente racional, que o difere dos outros seres porque ele pode pensar sobre sua própria existência. Com essa mente, pode criar coisas magníficas e também pode acumular seu conhecimento por meio da fala e da escrita. Todas essas questões mentais são realmente muito incríveis e o fazem atingir objetivos antes inimagináveis. No entanto, essa capacidade não consegue ser bem desenvolvida se ele não entender uma outra parte de sua psique: a emocional.

As emoções não têm um conceito muito definido, mas podemos conceitualizar como uma sensação física e emocional causada por algum acontecimento. As emoções podem ser muitas e de diferentes intensidades. Elas são poderosas e podem nos atrapalhar ou nos auxiliar. Daniel Goleman, um psicólogo renomado, fala sobre a inteligência emocional, que seria a capacidade de utilizar essas emoções a seu favor. Poderíamos falar sobre isso neste texto, mas há um ponto anterior que eu gostaria de falar com você. O ponto de primeiro aceitar todas emoções sem preconceito.

Mãos brancas com rostos feliz e triste desenhados.

Muitos dos problemas gerados em nossa vida se dão por causa de nosso descontrole emocional. De maneira geral, nosso descontrole ocorre quando negamos grande parte de nossas emoções. Para explicar melhor essa parte, podemos imaginar cada emoção como um ser dentro de nós. Se negamos esse ser e o ignoramos, essa emoção não deixou simplesmente de existir. Apenas a escondemos em algum canto. Para fazer isso, gastamos uma quantidade de energia.

Porém a emoção quer vir à tona e faz uma força contrária. Afinal, ela tem um propósito e um porquê de estar ali. Se não olhamos para isso, essa emoção sempre tentará cumprir seu papel. Para ficar mais claro, pegarei uma emoção de exemplo: a raiva.

Sentir raiva parece ser ruim, algo que não queremos para nossa vida. Realmente a raiva, quando descontrolada, pode atrapalhar, em muito, a nossa vida. Por essa razão, as pessoas negam que tenham raiva ou se sentem culpadas quando a têm. Assim, a raiva vive em uma parte negada de nosso interior. Quando nos sentimos fragilizados, ela aparece com toda a sua força, pois não conseguimos mais contê-la.

Pefil de mulher branca de olhos fechados e mão no queixo.

É como segurar uma bola embaixo d’água em uma piscina. Fazemos força para que a bola fique submersa. Porém, se ficarmos desatentos, ela vem com a mesma força que usamos para deixá-la no fundo, só que agora para fora. Podemos, inclusive, no caso da raiva, ficar irritados com outras pessoas e não com a verdadeira causa de nossa raiva.

Se não olhamos profundamente para nossas emoções, não conseguimos ver o porquê de elas estarem ali. Precisamos sair dessa cultura em que necessitamos estar sempre felizes, alegres e sem nenhum problema. Existe a solidão, a tristeza, a raiva, a angústia. Muitas dessas emoções são consideradas feias ou erradas, porém estão ali com um propósito.

Você também pode gostar:

A raiva pode ser um sentimento muitas vezes de proteção. Sentir revolta por algo que fizeram a você, por exemplo. A tristeza pode se dar por se perder algo importante ou sentir que algo está errado. Se não olhamos e negamos essas emoções, teremos muita dificuldade em tratá-las. Precisamos cuidar de todas as nossas emoções e aceitá-las, não as classificando em negativas e positivas. Elas são a expressão de nossa vida, e não podemos viver apenas uma parte delas.

Aceite suas emoções, para que possa cuidar delas. Podemos nos aceitar integralmente sem nos julgarmos pelas coisas que sentimos. Experimente.

Compartilhar

Erickson Rosa

+ artigos

Psicólogo clínico laureado pela PUCRS. Atende crianças, jovens e adultos. Palestrante sobre a temática do inconsciente.