Compartilhar

por Marcos de Paula

Família e trabalho

Cuidados como o de observar atentamente até onde determinadas demandas estão, aos poucos, nos excluindo de nosso bom convívio familiar, ou mesmo numa situação inversa, os problemas e apelos caseiros possam prejudicar a necessária concentração e foco no trabalho, pois essas preocupações afetam (in)diretamente a qualidade do serviço, potencializando muitas vezes o estresse e transtornos que nos deixam até mesmo doentes, física e emocionalmente. 

Toda essa polarização nos afeta diretamente, ainda mais se levarmos em conta como os grandes centros nos impõe estilos de vida cada dia mais empobrecidos, limitados, inseguros, menos prazerosos e esvaziados de afetividade e acolhimento mútuo, pois essas oportunidades de verdadeira atenção e cuidado conosco e com os outros, estão cada vez menores, já que não sobra muito tempo e sempre temos coisas mais importantes para pensar, fazer e resolver.

Atentar-se conscientemente para esses cenários é mesmo uma possível alternativa para administrarmos esse processo de uma forma mais equilibrada e menos agressiva e angustiante, nos permitindo algumas releituras e mesmo re-paginando a nossa dinâmica pessoal e profissional, evitando assim fugas conscientes ou inconscientes na tentativa de atribuir aos outros o que é a nossa responsabilidade pelo exercício diário, em todos os lugares, dos valores humanitários.

Compartilhar

Marcos de Paula

+ artigos

Marcos D. de Paula é psicanalista, atendendo adolescentes e adultos na zona sul de São Paulo. Participa também do grupo Big Riso, voluntários que se vestem de palhaços e visitam hospitais do Grande ABC e de São Paulo, levando alegria e descontração, dentro de uma perspectiva de humanização hospitalar.