Compartilhar

por Erickson Rosa

O mito da eternidade

Vivemos de maneira imortal. Acreditamos que nossa vida jamais chegará ao final e que todas as coisas são imutáveis. Claro que as pessoas sabem que um dia irão morrer, mas não vivem como se soubessem disso. De maneira geral, não olhamos para isso. Negamos essa verdade para não tomarmos contato com ela. Para você entender o que estou querendo dizer, basta se fazer a pergunta: Se você fosse morrer em um mês, o que faria? 

Nunca sabemos quando nosso momento irá chegar, mas, se tivéssemos essa informação, com certeza buscaríamos significar cada momento. Essa é uma questão com a qual muitas pessoas se deparam. Entretanto, será que precisamos mesmo nos deparar com a morte para ter uma vida com significado? E que significado devemos atribuir à nossa existência? Como esse significado nos ajudaria a ter uma vida com mais felicidade? 

Significado 

Quando falo em significado, refiro-me a dar um sentido à vida. Esse sentido não deve ser limitado ao eu, e digo isso por um motivo muito simples. Se o sentido de nossa vida é hedonista, ficamos fixados em ter mais prazer, em melhorar nosso conforto e apenas buscar satisfação. Estamos sem perceber limitando nossa visão e nossa conexão com as pessoas. Ao final de nossa existência, pensaremos que nada disso nos trouxe sentido. Ele só é alcançado na transcendência, ou seja, quando expandimos para além do eu. 

Se olhamos para as pessoas e buscamos ajudá-las de alguma forma, saímos de nosso autocentramento e começamos a significar nossa vida no contato com os outros. Quando ampliamos para além do eu, aprendemos a riqueza que é estar com os outros. O tesouro do contato com as outras pessoas é o que nos torna felizes. Se nos isolamos em nossos desejos e criamos competição com as pessoas, logo conhecemos a depressão e o adoecimento. 

Vida com significado 

Viver uma vida com significado é focar nossa ação, seja ela qual for, no bem-estar do outro. Ao gerarmos benefícios para as pessoas, estaremos também gerando benefícios para nós, pois, como já falei em outro texto aqui sobre o poder da rede, somente nos conectando com os outros é que achamos a verdadeira felicidade. 

Vivendo com a percepção de finitude 

Precisamos encarar a realidade. Todos nós um dia morreremos e não sabemos quando esse momento chegará. Por isso precisamos viver a vida com significado agora, de maneira a gerar benefícios. Isso é o que se chama de vida humana preciosa. Se geramos benefícios às pessoas, geramos méritos e nossa vida no mundo se torna mais fácil. 

Temos a falsa ilusão de que nossa vida durará para sempre e por isso ficamos centrados em nossas necessidades, em nossos desejos e criamos a visão de que sozinhos podemos alcançar a felicidade. Entretanto, a felicidade só é possível no contato com os outros. Temos que entender que as coisas não produzem felicidade. Como disse Thich Nhat Hanh, as coisas devem ser usadas e as pessoas valorizadas. O grande problema é que atualmente estamos fazendo o contrário. Valorize as pessoas e você começará a ser valorizado. Somos seres sociais e nossa felicidade reside também nesse contato.


Leia também: Como desenvolver a compaixão

Compartilhar

Erickson Rosa

+ artigos

Terapeuta holístico, Mestre Reikiano e formado em psicoterapia holística. Fundador do Coach Matinal e autor do e-book Ansiedade Sem Remédios. Ministra cursos e eventos com temas como a motivação, psicossomática, fisiognomonia e meditação.