Compartilhar

por Andrea Pavlovitsch

O que você anda imaginando para a sua vida?

Na aula que tive na semana passada, ouvi o professor dizer que nossa cabeça é cheia de maldade. O mal é pensar criticamente, é olhar para a blusa da colega e pensar será que estava tão barata que ela tem coragem de usar isso na rua?

É pensar que uma dor de cabeça pode sim ser o princípio de derrame, em você ou em outra pessoa. É pensar que aquele outro candidato aquela vaga de emprego, com certeza, é muito melhor do que você. E se chover, com certeza você ficará preso na enchente, o carro encherá de água, você pode ter que nadar naquela água fétida e pode morrer ou pegar uma doença e....enfim! O que a sua imaginação mandar.

A imaginação é a coisa mais fantástica do ser humano. Tudo começa na imaginação. Santos Dumont imaginou uma máquina de voar e inventou o avião. Bill Gates imaginou um sistema de computadores que as pessoas pudessem usar em casa e criou um império Microsoft. E você já precisou imaginar como sair de um problema que funcionou. O que dizer a sua mãe quando chegasse tarde em casa ou como reformar um vestido bárbaro que já foi usado em 30 festas diferentes.

Não seríamos nada sem ela, a imaginação. Não existiram prédios de 200 andares no deserto, mas também nem existiriam as casas. Possivelmente estaríamos ainda vivendo em cavernas prontas pela natureza o que, com certeza, geraria muitos e muitos problemas. A imaginação cria histórias de ficção que nos emocionam ou assustam. Que nos inspiram ou que nos fazem mudar de rumo.

O único problema que a imaginação tem é como ela é usada. Eu atendo muitas e muitas pessoas e percebo como a grande maioria dos nossos problemas é o uso errado da imaginação. Quando temos um problema, nossa primeira reação é pensar negativamente. Se não temos dinheiro para uma conta já imaginamos que nunca teremos o dinheiro, que logo os credores aparecerão na nossa porta e vão mandar pegar as nossas coisas e depois vão nos expulsar de casa e moraremos debaixo de uma ponte. Só por causa de uma conta!

No caso dos ciumentos então, que martírio. Um atraso de 10 minutos do parceiro e nós estamos lá, o vendo entrando com a loira do escritório (ou o limpador de piscinas) num motel maravilhoso (daquele que ele nunca quis levar a gente) e tendo horas e horas de sexo selvagem e arrebatador. E, quando o coitado chega, só tinha passado na padaria para te comprar um sonho.

Sonhos. É ótimo sonhá-los! Mas como precisamos aprender a dominar a nossa imaginação. Usá-la com inteligência, para coisas boas. Ao invés de imaginar que o cara do seguro vai nos cobrar uma fortuna e não teremos dinheiro (e aí você nem liga pro seguro pra perguntar quanto é), simplesmente ligue e pergunte. Se estiver ou não no seu orçamento, você só saberá assim. Ao invés de imaginarmos que aquela mulher linda vai te chutar nos primeiros 3 minutos de conversa, tente! Imaginar coisas ruins é a pior coisa que podemos fazer.

Essa imaginação negativa nos ativa o medo. Um medo que, muitas vezes, é até irracional e desproporcional. Não é uma tarefa muito fácil dominar a imaginação, mas é perfeitamente possível. Eu aprendi o exercício do PARE. Quando um pensamento ruim deste vier te encher o saco antes de dormir, imagine uma placa de transito escrito pare. Bloqueie o pensamento e simplesmente mude de rumo. Se estava imaginando um problema, comece a imaginar uma linda praia ou um lugar onde você goste de estar. Assim, os pensamentos negativos serão afastados e você poderá desfrutar e acalmar! Tente, além de divertido nos ajuda a educar a mente.

Educação é sim algo que precisamos o tempo todo. Educar a mente talvez não seja a educação mais fácil, mas, com certeza, é algo que nos ajudará demais na nossa jornada.

Orai e vigiai. Novamente.

Compartilhar

Andrea Pavlovitsch

+ artigos

Terapeuta porque adora ajudar as pessoas a se entenderem. Escritora pelo mesmo motivo. Apaixonada por moda, dança, canto e toda forma de arte. Adora pão de queijo com café e não pretende mudar o mundo, mas, quem sabe, uma pequena parte da visão que temos dele.