Compartilhar

por Equipe Horóscopo Virtual

As 8 celebrações celtas

As culturas pagãs tinham um conhecimento muito profundo sobre a natureza e a relação do homem com ela. Por isso, as suas celebrações estavam relacionadas as estações do ano que o planeta passa. Na cultura celta, eles tinham o que chamavam de “roda do ano”. A roda do ano marcava oito celebrações que fazem relação com as estações do ano e com a posição do planeta em relação ao sol. Eram nessas datas que aconteciam os rituais mais importantes e os sacerdotes celtas, conhecidos como druidas, conduziam rituais que sintonizavam as pessoas com as energias da natureza. Além disso, também se cultuava uma deusa e um deus.

Cada celebração fazia relação a um momento do deus ou da deusa, o que era relacionado também ao momento da natureza. Conheça cada uma das oito celebrações celtas abaixo:

Samhain

É a data que marcava o auge do outono. No hemisfério norte, onde os celtas viviam, é celebrado no dia 31 de outubro. No hemisfério sul é celebrado no dia 1º de maio. Por se tratar do auge do outono, as árvores estão com as folhas caindo e a vegetação começa a ficar seca o que mostra o inverno chegando. Dessa forma, as condições da natureza também fazem relação com as energias que cada pessoa sente dentro de si. Assim Samhain era um momento de introspecção e desapego do antigo. Marcava também o ano novo celta e era o momento de deixar o que não servia mais para trás para começar um novo ano. Também era um momento energético propício para entrar em contato com os espíritos ancestrais.

Yule

Celebrado no dia 21 ou 22 de dezembro no hemisfério norte e 21 de junho no hemisfério sul, é a data que indica o solstício de inverno. Como é uma data que marca o auge do inverno e a maior distância que o Sol se encontra da Terra, era um momento de introspecção, mas também de esperança, pois era a noite mais longa do ano. A partir do próximo dia, as noites começam a diminuir e os dias ficam cada vez mais longos. Por isso, é uma data associada ao nascimento do deus solar. O cristianismo adotou essa data para celebrar o nascimento de seu próprio deus solar: Jesus. E então, a celebração pagã de Yule serviu como inspiração para a criação do natal.

Imbolc

No hemisfério norte, celebra-se no dia 1 ou 2 de fevereiro e no hemisfério sul no dia 1 de agosto. Essa data marca o fim do inverno e o início da primavera. No hemisfério norte, é a época em que o gelo do inverno começa a derreter. Dessa forma, isso simboliza as emoções que ficaram congeladas durante o inverno e voltam a fluir para todos e assim sinalizar que a estação das emoções está chegando, para a alegria de todos.

Ostara

Celebrada no hemisfério norte no dia 21 ou 22 de março e no hemisfério sul no dia 21 ou 22 de setembro. É a data que marca o equinócio de primavera. O gelo do inverno já foi descongelado e os rios voltam a fluir no hemisfério norte. Dessa forma, isso indica todas as emoções que estão fluindo livremente para todos. É uma data que transmite um equilíbrio energético e também tem relação com a fertilidade, tanto que um dos símbolos de Ostara eram ovos pintados, também relacionados a coelhos. Foi dessa celebração que surgiu a inspiração para o que conhecemos hoje como páscoa e seus coelhos e ovos.

Beltane

Celebra-se no hemisfério norte no dia 30 de abril ou 1 de maio e no hemisfério sul no dia 31 de outubro ou 1 de novembro. É a data que marca o auge da primavera. É uma celebração associada a fertilidade e ao casamento do deus e da deusa. Dessa forma, é uma data utilizada pelos pagãos para fazerem rituais de casamento. Em algumas tradições, o casamento ritualizado nessa data dura 1 ano e 1 dia e deve ser renovado o ritual na próxima celebração de Beltane.

Litha

No hemisfério norte, celebra-se no dia 21 ou 22 de junho e no hemisfério sul no dia 21 de dezembro. É a data que marca o solstício de verão, o dia mais longo do ano. Celebra-se o auge do deus solar. A partir de então, os dias vão diminuindo e as noites ficando mais longas. É um ritual que tem um poder de manifestação muito grande, por isso era utilizado para as pessoas fazerem todos os tipos de pedidos que quisessem. Se o ritual fosse celebrado de noite, era acesa uma imensa fogueira para representar todo o poder do deus solar em seu auge, assim manifesto também como o auge do verão.

Lammas

É celebrado no dia 1 ou 2 de agosto no hemisfério norte e 1 ou 2 de fevereiro no hemisfério sul. Nas celebrações, era a data da primeira colheita. Os pedidos feitos nos rituais de Litha davam seus primeiros frutos. Como essas celebrações eram feitas em grande parte por camponeses, esse simbolismo da colheita estava ligado a primeira colheita das sementes plantadas por eles, demonstrando assim a prosperidade dessa época do ano.

Mabon

No hemisfério norte é celebrado no dia 21 ou 22 de setembro e no hemisfério sul no dia 21 de março. Representa o que os camponeses conheciam como a segunda colheita. Depois de colherem os frutos de seus pedidos em Lammas, eles colhiam uma segunda vez o que tinham plantado. Essa data também representava o equinócio de outono, um dia do ano em que o dia e a noite têm a mesma duração. O que energeticamente representa um momento de equilíbrio para quem conecta-se com a energia da natureza e do ritual de Mabon.


Artigo escrito por Ricardo Sturk da Equipe Horóscopo Virtual.

Compartilhar

Equipe Horóscopo Virtual

+ artigos

Site esotérico completo que reúne conteúdos como astrologia, numerologia, mapa astral, runas, tarot e diversos. Serviço de consulta rápida e prática ao horóscopo diário, semanal, mensal e anual.