por Paulo Bregantin

"Eu quero" ou "Eu posso"

Eu quero...

  • É da ordem do desejo e da fantasia.

  • O desejo é sempre algo do inconsciente e não temos controle.

  • A fantasia é a forma que o desejo usa para chegar ao seu objetivo.

  • A vida NÃO é como sonhamos ou planejamos, pois ela é ilógica.

  • O “Eu quero” não vem das necessidades, mas sim do que os outros têm e eu quero também.

  • “Eu quero” torna o ser humano mimado e infantilizado.

  • “Eu quero” é uma forma de fugir do mundo real e de suas consequências.

  • “Eu quero” nos leva para um mundo abstrato e de culpas, raivas, revanchismos, brigas, etc...

Eu posso...

  • “Eu posso” é da ordem do real e da realidade possível.

  • Diz respeito à história de cada um (qualificações, estudos, idade, etc).

  • Está relacionado com o mundo lógico e verdadeiro.

  • A vida é como entendemos que ela é, ou seja, quando olho para os outros mais velhos e experientes, tenho uma ideia real do que é a vida.

  • Vem das necessidades que a vida me impõe.

  • “Eu posso” torna o ser humano humanizado e centrado nas necessidades.

  • “Eu posso” é uma forma de ficar no mundo onde vivo aceitando e negociando o que precisa ser aceito e negociado.

  • “Eu posso” tira a criança mimada e me faz ser um adulto responsável comigo mesmo e com os outros.

  • Vem das necessidades que a vida me impõe.

  • “Eu posso” torna o ser humano humanizado e centrado nas necessidades.

"Eu quero" ou "Eu posso"?

  • O amor é da ordem do eu posso e é exercitado. O ódio vive na ordem do eu quero e deseja sempre tomar lugar na vida.

  • A paz é da ordem do eu posso e é experimentada. A guerra é da ordem do eu quero, pois é puramente o desejo de conquistar algo do outro.

  • A alegria e o bom humor são da ordem do eu posso, pois sabemos que requer exercício e determinação para manter a alegria e o bom humor.

  • O mal humor e a tristeza são da ordem do eu quero, pois quando me desagradam fico triste e mal-humorado e, com isso, brigo com todos.

  • O eu quero está sempre ligado ao inconsciente, lugar onde não temos o mínimo controle, e sem controle tudo vira desejo ou fantasia.

  • O eu posso está sempre ligado ao consciente, lugar onde existem os pensamentos, reflexões e ações, onde sabemos nossa fraqueza e fortaleza, nosso jeito e forma de agir.

  • O eu quero sempre me levará para discussões bobas e palavrórios infinitos sobre questões que não têm nenhuma importância.

  • O eu posso me leva sempre aos limites do que posso ou não fazer e me alerta para o que SOU, e não para o que tenho.

Eu posso... sim, eu posso:

  • O “eu posso” me leva para perto de Deus e sua sabedoria. Promessas verdadeiras.

  • O “eu quero” me leva sempre para dentro das minhas fraquezas e para as fantasias que me rodeiam – promessas falsas.

  • A escolha é sempre de cada um – Você prefere o “eu quero” ou o “eu posso”??

  • O amor e a paz estão sempre no EU POSSO, pois o eu posso sou eu mesmo fazendo o que deve ser feito com responsabilidade e dignidade.

  • O “eu posso” nos leva a um amor que aquece a Alma:

“Mas tudo que acontece na vida tem um momento e um destino.
Viver é uma arte, um oficio, só que precisa cuidado, pra perceber que olhar só pra dentro é o maior desperdício, o seu amor pode estar do seu lado.
O amor é o calor que aquece a alma.
O amor tem sabor pra quem bebe a sua água.
O amor é o calor que aquece a alma.
O amor tem sabor pra quem bebe a sua água.”

Paulo Bregantin

+ artigos

Mais de 25 anos dedicado ao cuidado de pessoas, sendo Psicanalista Clínico e escritor com várias obras publicadas. Atua nas redes sociais como dono, gerenciando a página Paulo Bregantin e o Grupo Psicanálise Integrativa.

facebook /Paulo-Bregantin