por Lilian Evangelista

Meditação – A busca pelo eu interior

A palavra meditação tem sua origem no latim “meditare” – voltar-se para o centro – é uma arte ancestral, que nos leva à origem do homem. Origem da humanidade, mas também, e principalmente, a origem de nossa singularidade, que vamos perdendo conforme crescemos. 

Em nossa correria do dia a dia, em que somos levados a agir e pensar na frequência de um relógio controlador, pouco tempo nos sobra para refletirmos sobre o porquê de muitas de nossas ações, emoções, sensações, e respostas imediatas. Não temos o hábito do pensamento equilibrado, e isso é fator para a falta de paciência que sentimos na relação com o outro e até conosco. Não entendemos nossos sentimentos, e não nos damos conta de que a resposta para muitas de nossas dúvidas está dentro de nós mesmos.

Sim, somos fontes de sabedoria, mas infelizmente ela é esquecida, outras vezes ignorada, por não termos a consciência do quanto somos capazes. Quando nascemos e nos primeiros anos de vida, temos toda a nossa essência à disposição, e a utilizamos para aprendermos a viver, mas juntamente com isso, vamos acumulando outros fatores negativos, hábitos que não necessariamente nossos, modelos de pensamentos e adequação a  sociedade, que vão formando uma casca invisível aos olhos,  mas que tem o poder de influenciar todo o nosso viver.

Em meio a tudo isso, é importante tentarmos nos desligar do que “nos pregam”, e mergulhar em nosso eu, tomar em nossas mãos a realidade do que sentimos e assim, agir com mais clareza e sabedoria diante das situações.

A meditação se torna assim um poderoso aliado para a busca do ser, então precisamos perceber que meditar vai muito além da reflexão sobre algo que nos preocupa, e compreender que meditar é um exercício diário, onde o homem se volta para dentro, e tenta entender o porquê de suas atitudes, palavras e sentimentos, quando o que mais  deseja é ser verdadeiro com o que se acredita. 

Para quem estiver disposto, há de se saber que a meditação é uma técnica de direcionamento de foco, onde se necessita ter muita paciência e disciplina.

Deve-se escolher um lugar calmo, pode ser um ambiente de sua própria casa, ou um lugar aberto, porém é importante saber que este é o seu tempo de recolhimento, então  deve-se evitar lugares em que a sua concentração possa ser dispersa, sendo isto um fator essencial. Utilize roupas largas e confortáveis, escolha uma música que lhe traga paz, e também um incenso suave, tudo para que este momento possa lhe oferecer um estado de relaxamento. É importante também estar descansado e evitar horários em que possa sentir sono. Comece com dez minutos diários, vá aumentando gradualmente, a maneira que se sinta bem a cada dia. Treine sua respiração buscando o equilíbrio, enchendo seu peito de ar e soltando-o lentamente pelo nariz e no decorrer deste tempo, esqueça o mundo externo, para se concentrar no seu mundo interior, pode ser difícil em um primeiro momento, mas a prática fará com que se sinta mais entregue à medida que for exercitando. Programe um despertador para marcar o final de sua meditação. 

É claro que cada um tem sua maneira particular de meditação, existem várias técnicas para se conseguir um estado de relaxamento, assim também como vários objetos que você pode utilizar durante o processo. O importante é sentir-se bem consigo mesmo, em busca da essência do ser.  

Lilian Evangelista

+ artigos

Escritora de coração. Casada, mãe de dois filhos. Um livro publicado no ano de 2014 "Entre anjos e flores" pela Editora Virtual Ânema. Atualmente escrevo em meu blog pessoal. "Descobri que as palavras são a minha revelação,e permitem que eu seja essa pessoa que se constrói e se desfaz, pois a cada nova palavra, um novo pensamento."