Compartilhar

por Equipe Horóscopo Virtual

O dinossauro que você seria de acordo com seu signo

Se você é aficionado por dinossauros, deve conhecer um punhado deles e saber muito bem se um braquiossauro ou se um alossauro combinam mais com quem você é, com base no seu signo do Zodíaco. Mas será que você não está escolhendo o seu dinossauro preferido para o seu signo só porque gosta muito dele? Será que ele se parece mesmo com você?

E você, que não sabe absolutamente nada sobre a Era dos Dinossauros, gostaria de saber com qual desses gigantes que caminharam sobre a Terra há milhares de anos você se parece, considerando as características do seu signo do Zodíaco?

Pois seus problemas acabaram, seja quem for você, um apaixonado por dinossauros ou alguém que não sabe diferenciar um T-Rex de um tricerátops! O Horóscopo Virtual analisou as características dos mais famosos dinossauros daquela era longínqua e selecionou quais deles mais se parecem com cada um dos signos do Zodíaco e por quê. Confira!

Áries – Argentinossauro

Ilustração de dois Argentinossauros caminhando durante o dia

Com altura de 21 metros e comprimento de 45 metros, o argentinossauro (Argentinosaurus huinculensis) é provavelmente o maior dinossauro que existiu na face da Terra. Com peso de até 100 toneladas, o argentinossauro, que tem esse nome porque foi descoberto aqui pertinho de nossa casa, na Argentina, tinha peso similar ao do animal mais pesado que conhecemos, a baleia-azul.

Com todas essas características, pode-se entender por que ligamos esse animal ao signo de Áries, né? Apesar de não serem arrogantes e de não ficarem por aí contando vantagem, os arianos se destacam de maneira natural e orgânica por causa de sua personalidade forte e de um brilho natural e nada forçado. Outra característica que liga o argentinossauro ao ariano é o fato de que esse dinossauro era herbívoro, apesar de tão grande, o que mostra que o ariano não precisa “predar” ninguém para se destacar.

Touro – Tricerátops

Ilustração de um tricerátops caminhando

Se você gosta um pouquinho de dinossauros, provavelmente já viu um tricerátops (Triceratops horridus) por aí. Esse animal de 2 metros de altura e 9 de comprimento, que vivia na América do Norte, é bastante conhecido pelo conjunto de chifres que trazia no crânio, principalmente por causa de um chifre mais longo, situado bem na ponta do crânio, o que o tornava o maior dinossauro com chifres da história.

Herbívoros, os tricerátops dificilmente se envolviam em conflitos, apesar de serem bons nos conflitos, assim como os taurinos, que são sensíveis e delicados, mas quando provocados se tornam extremamente defensores daqueles que amam e das coisas que fazem parte de sua vida. Outra característica que conecta esse dinossauro ao taurino é o modo como eles se alimentam: com muita voracidade e algum exagero, já que esse animal era capaz de armazenar alimento em seu sistema digestivo.

Gêmeos – Alossauro

Ilustração de um Alossauro

O alossauro (Allossaurus fragilis) era um animal de aproximadamente 4,5 metros de altura, 12 metros de comprimento e até 2 toneladas. Essa criatura que vivia onde hoje ficam os Estados Unidos era um dos predadores mais terríveis da época, porque tinha mandíbulas fortes e implacáveis. Diferentemente do T-Rex, o predador carnívoro mais famoso, esse animal tinha garras afiadíssimas, o que dava a ele mais de uma ferramenta para acabar com suas presas.

Assim como o geminiano, o alossauro era um dinossauro imprevisível, já que podia atacar com mais de uma estratégia e, além de investir contra suas presas com intenção de se alimentar, divertia-se aterrorizando-as por puro prazer, o que se relaciona ao modo como os nativos de Gêmeos estão sempre se divertindo, às vezes às custas dos outros, para conseguir dar aquela risada que ama.

Câncer – Diplodoco

Ilustração de um Diplodoco

Relacionados geneticamente ao braquiossauro e ao brontossauro, o diplodoco (Diplodocus longus), que vivia na América do Norte, é menos conhecido do que os seus “primos”, mas tinha características parecidas: a altura de 5 metros, o comprimento de 30 metros, as 15 toneladas de peso, o pescoço longo e a personalidade pacífica, além dos hábitos alimentares herbívoros.

Assim como os cancerianos, o diplodoco era um animal carinhoso entre os membros da sua espécie e que andava sempre em bandos e entre os membros das grandes famílias da espécie. Outra característica que conecta o animal ao nativo de câncer é o fato de que ambos são considerados pacíficos e calmos, apesar de sensíveis e emotivos, então, quando provocados, reagem de forma a proteger seu espaço e aqueles que amam – o diplodoco, apesar de não agressivo, tinha uma cauda poderosa, que usava para dar “chicotadas”, caso os membros de seu grupo fossem atacados.

Leão – Tiranossauro rex

Ilustração de um Tiranossauro rex na floresta

Não importa quanto de dinossauros você conheça, você sabe muito bem o que é um tiranossauro rex (Tyranosaurus rex)! Esse animal de 4 metros de altura, 12 metros de comprimento e até 9 toneladas vivia na América do Norte e era um dos predadores carnívoros mais temidos da Era dos Dinossauros.

Como é protagonista quando o assunto é dinossauro, é natural que o T-Rex seja associado ao leonino, que adora um holofote e adora ser reconhecido como alguém brilhante e famoso. Muitas vezes, o nativo do signo de leão não é o mais habilidoso naquilo que se propõe a fazer, muito menos o mais determinado, mas acaba sendo aquele que chama mais atenção, bem como o T-Rex, que não é o predador mais perigoso nem o maior e mais temido dinossauro, mas é o mais conhecido de todos.

Virgem – Velociraptor

Ilustração de um Velociraptor na floresta

O velociraptor (Velociraptor mongoliensis), que habitava a região onde hoje fica a China, não era conhecido por seus dotes físicos: ele tinha meio metro de altura, 2 metros de comprimento e pesava somente 15 quilos, mas era extremamente voraz e perigoso, porque estava entre os dinossauros mais ágeis, velozes e inteligentes, entre os animais dessa era longínqua.

 

Você também pode gostar:

Assim como o virginiano, que é obstinado pelo sucesso e extremamente organizado para chegar aonde deseja, o velociraptor fazia de tudo para acabar com a presa que escolhia; era extremamente improvável que uma presa, depois de escolhida, conseguisse fugir de um animal desse, que, apesar de pequeno, atacava em bando e nunca desistia da caçada, mesmo que ela durasse dias.

Libra – Braquiossauro

Ilustração de um Braquiossauro

Um dos maiores dinossauros que já existiram, o braquiossauro (Brachiosaurus altithorax) era um animal de 12 metros de altura, 23 metros de comprimento e até 80 toneladas. Espalhado pela Terra, vivia nos territórios hoje correspondentes à Europa, à América do Norte e à África. Para se ter uma noção do tamanho dessa criatura de longo pescoço, o braquiossauro tinha tamanho equivalente a três T-Rex e pesava oito vezes mais do que o mais famoso dos dinossauros.

Assim como o libriano, o herbívoro braquiossauro evitava conflitos com predadores e vivia isolado com os membros da sua espécie, vivendo uma vida mais pacífica e harmônica, cercado dos seus. Além disso, esses animais circulavam bastante pelo mundo, por isso eram endêmicos em tantos lugares, o que mostra outra semelhança com os nativos de libra: a dificuldade de escolher – neste caso, o melhor lugar para se estabelecer.

Escorpião – Espinossauro

Ilustração de um Espinossauro

O espinossauro (Spinosaurus aegyptiacus) era “primo” do famoso T-Rex. Esse animal chegava a 5 metros de altura, 15 metros de comprimento e pesava até 7,5 toneladas. Ele habitava o Norte do atual continente africano e, apesar de ser menos conhecido do que seu “primo” famoso, era certamente o predador mais temido de todos, já que podia andar sobre duas ou quatro patas, tinha garras curvas perigosíssimas e os dentes mais afiados da Era dos Dinossauros.

Assim como o espinossauro, o escorpiano não é o que mais se destaca entre os outros nativos, nem é conhecido como o mais obstinado pelo sucesso, mas é o mais determinado de todos, aquele que se preocupa menos em falar o que conquista, porque está ocupado demais conquistando ou curtindo o que conquistou. Além disso, o nativo de escorpião vai até o fim por aquilo que acredita ser bom para si, bem como o espinossauro, cujas caçadas só terminavam quando sua presa estivesse abatida, independentemente de quanto isso demorasse para acontecer.

Sagitário – Anquilossauro

Ilustração de um Anquilossauro

O anquilossauro (Ankylosaurus magniventris) era um dinossauro herbívoro que vivia no território atual da América do Norte. Ele chegava a 1,80 metro de altura e a 6 metros de comprimento, além de pesar cerca de 9 toneladas. Apesar de ter uma cara de mau, uma cauda cheia de espinhos e outros tantos chifres espalhados pelo corpo, o anquilossauro era um animal pacífico e calmo.

Assim como o sagitariano, o anquilossauro estava sempre tranquilo, de humor calmo e vivendo sua vida em paz, fugindo de conflitos. Outra característica reconhecida pelos estudiosos da espécie é que ele se dava bem com animais de outras espécies, então convivia em harmonia com outros herbívoros, traço da personalidade dos nativos de sagitário, que estão sempre em busca de conhecer e interagir com pessoas novas.

Capricórnio – Brontossauro

Ilustração de um Brontossauro

O brontossauro (Brontosaurus excelsus) é da mesma família do braquiossauro, então tem características em comum: é herbívoro, tem pescoço longo, crânio pequeno e patas grandes e pesadas, para suportar seu peso de até 40 toneladas. Ele chegava a 4,5 metros de altura e tinha comprimento de até 22 metros. Endêmico no território atual da América do Norte, o brontossauro costumava se alimentar das folhas das árvores mais altas.

Assim como o capricorniano, o brontossauro era um animal menos sociável em relação a outras espécies, então preferia estar cercado dos seus, em vez de se misturar a outros herbívoros de características semelhantes. Em relação aos membros da sua espécie, porém, bem como os nativos de capricórnio, o brontossauro era bastante leal e confiável.

Aquário – Pterodáctilo

Foto de um Pterodáctilo voando

O pterodáctilo (Pterodactylus antiquus) não era bem um dinossauro, mas não vamos nos aprofundar nessas questões tão biológicas. Esse animal voador carnívoro tinha envergadura de um metro (distância da ponta de uma asa até a ponta da outra), comprimento de 30 centímetros e até 2 quilos, além de viver espalhado por quase todo o planeta na Era dos Dinossauros.

Assim como o aquariano, que adora uma liberdade e sonha em conhecer cada pedacinho do mundo, o pterodáctilo voava livremente por aí, então acabou se espalhando pelo mundo todo. Além disso, apesar de pequenos e de até atacarem em bando às vezes, os pterodáctilos, à semelhança dos nativos de aquário, gostavam de exercer sua independência e sua autonomia de caçar de maneira solitária por aí.

Peixes – Estegossauro

Estátua de um Estegossauro em uma floresta

O estegossauro (Stegosaurus stenops) era um animal relativamente baixo, com 3 metros de altura, 6,5 metros de comprimento e que pesava até 2 toneladas. Era endêmico da América do Norte e da Europa. Era herbívoro e preferia viver circundado dos membros da sua espécie, em vez de se misturar a outras espécies.

Assim como os piscianos, os estegossauros eram diferentões, com sua “armadura” natural formada por placas ósseas coloridas, que o ajudava a se camuflar o tornava a vida de seus predadores mais difícil. Segundo estudiosos, os estegossauros tinham espigões na cauda, que podiam ser usados para atacar seus oponentes, mas que também eram utilizados para bater o solo e “construir” lugares confortáveis para os membros da espécie, assim como os nativos de peixes buscam seus sonhos e um lugar confortável para estar.

Compartilhar

Equipe Horóscopo Virtual

+ artigos

Site esotérico completo que reúne conteúdos como astrologia, numerologia, mapa astral, runas, tarot e diversos. Serviço de consulta rápida e prática ao horóscopo diário, semanal, mensal e anual.