Compartilhar

por Andrea Pavlovitsch

Prosperidade e Consciência

Prosperidade é uma palavra muito usada, principalmente em cartões de natal e aniversário. As pessoas desejam prosperidade, pedem prosperidade, mas nem todo mundo sabe de fato o que isso significa, não é mesmo? Para mim prosperidade é o fluxo da vida. E por fluxo não podemos entender só a melhora, só o bom, porque às vezes algumas coisas ruins também surgem para nos ensinar. E prosperidade não é só material.

A prosperidade está em todos os sentidos da nossa vida, fazendo tudo fluir com naturalidade e envolvendo o menor sofrimento possível.

Prosperidade é uma faixa astral. Quando entramos nela, tudo flui. Daí, explicamos aquela coisa que desgraça só atrai desgraça e dinheiro atrai mais dinheiro, que todo mundo sempre fala. Claro, porque você se posiciona na faixa da desgraça ou na faixa da prosperidade. É simples assim. E aí você me pergunta, mas e aquelas pessoas que são ruins, que roubam mas, que tem prosperidade e tudo mais. Então, elas não são prósperas.

Elas podem até ter dinheiro, por isso digo que não é só material mas, algo de importante vai faltar em suas vidas. Pode ser saúde, pode ser amor, pode ser uma mágoa que a pessoa carregue por anos e acabe virando uma doença, pode ser uma falta.

Mas aquela paz de espírito, aquela verdade interior de que tudo está e permanecerá bem, não interessa o que acontecer, ela não terá. Então, dinheiro é uma das coisas que a prosperidade traz. Por quê? Justamente porque dinheiro é bom! Sei que pode ser um choque para você ler isso, mas é a mais pura verdade. O dinheiro traz as excelentes oportunidades, traz chances, traz a realização de seus projetos. Não é ter dinheiro por ter, para guardar debaixo do colchão, mas para realizar você como ser humano.

"Os nossos amigos conhecem-nos na prosperidade. Nós conhecemos os nossos amigos na adversidade.

John Collins

Um projeto social precisa de dinheiro pra funcionar. Estudar medicina precisa de muito dinheiro para dar certo, então tudo, por mais que pareça só assistencial, precisa do dinheiro. Que tal parar de ter tanto preconceito com isso, hein? Começar a encarar a prosperidade como algo real, como uma faixa na qual podemos nos conectar. Como? Simples, com pequenas atitudes que mudam o nosso comportamento e a resposta que aquilo tem pra gente.

Ser uma pessoa boa sim, te coloca na faixa da prosperidade. Deixar a mesquinhez de lado, olhar para o próximo com amor e bondade. Não é dar esmola, mas saber que todo mundo está no seu processo e que todos precisa passar por algumas coisas para aprender algo. Parar de ser o espertalhão ajuda muito. No Brasil existe demais essa cultura do espertão, o que tira vantagens de pequenas coisas como gatos de TV a cabo e uma garrafa de água em cima do relógio da Sabesp, para economizar na conta (e isso é tão anos 90, meu Deus)! Então vamos parar com isso.

É tão bom poder usar um bom serviço e poder pagar por ele! É tão gratificante abrir a torneira da sua casa e ter lá água para tomar um bom banho, lavar uma louça e tudo mais, não é? Então porque não pagar por um serviço que você está usando? Imagina que, todas as vezes que uma pessoa abre a torneira de casa algo dentro dela ecoa você está roubando essa água. Imagina se ao longo de muitos anos isso não vira um mantra e, pensando bem, com o que você acha que isso vai ligá-la?

Com bons pensamentos e prosperidade? Não mesmo! Prosperar é ser espiritual. É poder colocar o seu espírito, a sua luz e a sua força nas pequenas coisas da sua vida e assim fazer um sucesso real com aquilo que você acredita. Nada de ferrar o cara da frente ou ficar sem querer com o troco da padaria. Isso só te enterra. Seja você e saiba que você é digno e tem direito a toda a prosperidade e amor do Universo. Ele faz parte de você. Basta ir lá e pegar!

Compartilhar

Andrea Pavlovitsch

+ artigos

Terapeuta porque adora ajudar as pessoas a se entenderem. Escritora pelo mesmo motivo. Apaixonada por moda, dança, canto e toda forma de arte. Adora pão de queijo com café e não pretende mudar o mundo, mas, quem sabe, uma pequena parte da visão que temos dele.