Compartilhar

por Equipe Instituto Biosegredo

Sonhos - A fronteira dos paradigmas

Você já sonhou? Já ficou curioso para saber o que significou seu sonho e correu para artigos e dicionários de sonhos?
Muito comum não é? Se pensar que a maior parte da população do planeta sonha constantemente ao longo de sua vida, e que na maioria das vezes os seus sonhos não tem um sentido lógico, é natural e saudável a curiosidade a respeito de seu significado.

Não há como decifrar o mecanismo ou estabelecer uma lógica genérica do significado de um sonho. A realidade é que a confecção dos atuais dicionários de sonho por exemplo, visa hoje em dia atender a uma demanda comercial do público que naturalmente sente curiosidade a respeito de seus sonhos!

O segredo para interpretar os seus próprios sonhos é entender o que quase ninguém divulga a respeito, como os sonhos se formam e de onde vem?
Sonhos são os registros do espírito dos momentos passados em desdobramento astral durante o sono. Quando dormimos saímos fora do corpo e retornamos ao formato livre de nosso espírito que conta com mais de 3000 sentidos.
Exatamente por ter uma percepção muito mais completa ao estar fora do corpo e por esses sentidos serem muito mais subjetivos e abstratos (energético) fica impossível ao cérebro humano fazer um registro completo e fidedigno a respeito do que realmente se passou durante o sono.

Para nossa mente cerebral, para nosso consciente nesta dimensão, a percepção se resume a 5 sentidos objetivos – tato, paladar, olfato, visão e audição; e de um sexto sentido abstrato que generalizamos como intuição. Dessa forma, trazer uma informação percebida com 3000 sentidos abstratos para um cérebro que funciona sem praticamente nenhum teor abstrato requer uma decodificação ou tradução.

Essa tradução é feita através de nosso mental concreto. O corpo mental concreto (visão Hindu dos 7 corpos) é a parte de nosso espírito que associa as coisas, que traça os métodos, a parte lógica, a parte cognitiva, a parte que faz modelos e que estabelece como faremos as coisas, por exemplo: “Quero comprar um refrigerante” (esta é a pulsão, o desejo), a partir dessa vontade, o mental concreto traça a rota (como farei): “Vou aproveitar o brake do café no serviço para ir até o bar da esquina comprar o refrigerante”.
Toda ligação com o mundo espiritual se dá a partir do nível mental, assim, para registrarmos informações abstratas vividas no sono, nosso espírito as traduz em clichês mentais ou conceitos, valores, associações mentais comuns à nossa personalidade, individualidade através de imagens, sons e etc. que tenham a mesma correspondência em nossas crenças.

Fica fácil de entender com este exemplo: uma vez sonhei que estava sendo escoltado por diversos soldados romanos indo até um templo grego onde estava sentado muito infeliz e mendigando um amigo meu de infância.
Ao acordar não fez sentido nenhum para mim, porém como sei do mecanismo de decodificação das experiências espirituais em sonhos, parei e refleti o que cada uma daquelas coisas significavam para mim e o que sentia de cada uma delas.
Vi que o soldado romano para mim representa força, doutrina, alguém que segue um código de conduta, e que a sensação a respeito deles era boa. Parei e refleti quem do “bem” eu associava a esse perfil. A resposta foi “Guardiões”, entidades do astral superior desse teor que agem protegendo?

Pensei o que significava o templo grego para mim. Percebi que sempre que via um templo grego na TV achava algo grandioso, porém sem sal, sem muita utilidade atualmente, como algo que já não se usa ou quer mais.
Pensei no que senti vendo meu amigo sentado ali esmolando. Aquela situação no sonho me fez sentir mal, senti que ele estava infeliz. Para mim a esmola é associada a situação de estar constrangido, amuado, sem saída.
Logo conclui que ele deveria estar passando por alguma situação que o estava constrangendo emocionalmente pois tudo que senti do sonho indicava isso. E que provavelmente ele não queria dividir, porém que lhe estava fazendo muito mal – como minha concepção de mendigar.

Peguei o telefone e liguei para ele, perguntei como estava e depois perguntei como estava seu emocional, como estava o relacionamento, a família.
Neste exato momento ele se abriu e me disse que havia terminado com sua namorada e que estava se sentindo muito mal com isso, como se ele não valesse nada, como se não tivesse mais perspectiva de vida e estava com muita vergonha de tudo a sua volta.

Conclusão: ao sonhar, eu percebi as emoções dele, estado vibratório, sua intenção e onde isso o estava levando. Porém meu cérebro não teria como registrar isso na íntegra; assim meu mental concreto traduziu aquelas experiências para figuras, sons, imagens e sensações correspondentes a mesma informação acessada durante o sono com os tais 3000 sentidos.
Durante o sono provavelmente fui até ele com trabalhadores do astral em processo de auxílio, e fui autorizado a registrar esse sonho em meu cérebro para que pudesse ligar para ele e ajudá-lo aqui nesta dimensão também falando com ele.

E aqui entra o segundo ponto importante a respeito do sonho. Não sonhamos ao acaso e nem sonhamos com o que queremos. Toda a vida vivemos experiências espirituais ao dormir; porém só sonhamos quando o plano espiritual autoriza que lembremos dos registros das experiências vividas naquela noite ou naquele cochilo.

A espiritualidade só autoriza trazermos essas informações para cá quando é algo útil para nossa vida, o que significa que sempre que sonhamos, na verdade estamos lembrando de algo que é para ser analisado.
Porém como vocês viram acima, essa análise ou interpretação, depende única e exclusivamente de como é nossa mente, de nossos valores e associações, assim a interpretação dos sonhos sempre será única para cada indivíduo.

E é muito fácil quando você sonhar, aproveitar essas informações. Quando acordar pare e pense o que aquilo significou para você. Como você se sentiu durante o sonho? Era bom ou era ruim? O que cada coisa envolvida no sonho significa para você e a que você a associa? Qual era o sentimento ou sensação pelas pessoas, acontecimentos no sonho, a que outra coisa a mesma emoção está associada para você ou a quem, a que situação da sua vida atual, dos seus problemas?

Ao fazer essa auto análise perceberá que a resposta do significado do sonho é simples, é somente a sua mente deixando algo para que quando você estiver acordado possa acessar as informações necessárias daquela vivência.
O sonho em última análise é uma tradução da vida espiritual para a vida nesta dimensão. Se você parar e sentir como cada coisa é para você; mesmo que não saiba exatamente o que aconteceu saberá com certeza o que significou, e por que sonhou com aquilo; como essa informação é útil e o que observar em sua vida a partir do sonho. Saberá na verdade aproveitar essa informação liberada pela espiritualidade de maneira a atingir o objetivo de “por que sonhar”. Saberá evoluir!

Compartilhar

Equipe Instituto Biosegredo

+ artigos

Instituto Biosegredo
Rua pelotas, 271 – Vila Mariana
São Paulo - SP

site www.institutobiosegredo.com.br

fone (11) 3520-0500