por Erickson Rosa

Onde está a felicidade?

Gostaria de compartilhar com você o que nos últimos anos venho aprendendo sobre a felicidade. Todos buscam ser felizes e ter o maior proveito na vida. Busquei entender a felicidade porque através dos programas do Coach Matinal tenho visto muitas pessoas sofrerem porque não possuem uma vida ideal, uma pessoa ideal, ou uma situação adequada. Dessa forma, decidi buscar em diversos conhecimentos o que é a felicidade. Neste texto, trarei a você 3 visões principais sobre esse conceito e a minha conclusão sobre isso.

Felicidade é a busca pelo sentido

Victor Frankl escreveu o livro “Em busca de Sentido”, onde narra sua história nos campos de concentração nazista e como, mesmo estando em um lugar terrível como esse, conseguiu alcançar o sentido de sua vida e atingir uma felicidade.

Para Frankl, a felicidade vem do sentido que damos a nossa vida diariamente e em cada uma de nossas relações. Quando estamos em contato com o outro buscamos estar presentes e dar sentido àquilo que estamos fazendo. Mesmo em situações ruins podemos buscar atitudes que tenham conexão com nossos valores mais profundos e, apesar de tudo, sempre dizer sim a vida.

Felicidade é a conexão com o momento presente (Flow)

Já para Martin Seligman, um dos grandes autores da psicologia positiva e ex-presidente da Associação Americana de Psicologia, felicidade é a conexão que temos com os momentos que produzem o que chama de flow ou estado de fluxo. Flow é um estado onde a mente da pessoa fica totalmente conectada com aquilo que está fazendo e ela sente um prazer enorme com isso, porém, nem sempre será uma sensação de felicidade.

Um exemplo seria o jogador de basquete. Ele experimenta o fluxo durante o jogo, sente-se concentrado e extremamente focado em sua tarefa. É um momento de extrema tensão, mas quando aquilo acaba ele quer mais dessa sensação. Você também pode ter experimentado o flow em alguma viagem ou em alguma outra situação em sua vida que se entregou totalmente àquele momento.

Felicidade apesar do sofrimento

Mesmo com o flow e o sentido, o sofrimento não deixará de existir em sua vida. É impossível para qualquer pessoa dizer que nunca mais sofrerá, mas seria a felicidade ausência de sofrimento? Para Steven Hayes, criador da ACT (terapia de aceitação e compromisso), a busca por evitar o sofrimento gera mais dor. Dessa forma, devemos buscar situações e objetivos pelos quais vale a pena sofrer.

A vida não é feita apenas de momentos felizes, mas também de momentos dolorosos e sem eles não saberíamos a diferença. Contudo, temos a escolha de vivermos conforme nossos valores e objetivos. Podemos ir atrás daquilo que vale a pena e enfrentarmos as situações difíceis que aparecem. Hayes costuma dizer que viver a vida é como nadar em um mar cheio de tubarões, mas podemos ir em direção a uma ilha (nossos objetivos), mesmo que lá haja tubarões.

Então, onde está a felicidade?

De tudo isso conclui que a felicidade não é ausência de sofrimento ou o atingimento de alguma meta, mas sim o caminho que se trilha em direção àquilo. A felicidade também está na posição de nossa mente. Se nossa mente não está alinhada com nossos objetivos, achamos que perdemos tempo, pois não há nada mais sem sentido do que fazer algo que não tem sentido.

Precisamos saber que a fonte de nossa motivação e felicidade é definida no momento que decidimos o caminho que iremos trilhar. Por isso, é importante a definição do nosso objetivo e de qual caminho ele nos levará. Defina seu objetivo para saber quais passos levarão você à felicidade.

Erickson Rosa

+ artigos

Terapeuta holístico, Mestre Reikiano e formado em psicoterapia holística. Fundador do Coach Matinal e autor do e-book Ansiedade Sem Remédios. Ministra cursos e eventos com temas como a motivação, psicossomática, fisiognomonia e meditação.