Compartilhar

por Erickson Rosa

O propósito como felicidade

Hoje quero desconstruir uma ilusão que gera muito sofrimento às pessoas. A ilusão do propósito pessoal. Não me entenda mal, o propósito de vida realmente conduz a uma vivência cheia de significados, que, consequentemente, produz uma felicidade por meio de uma realização que transcende o eu.

O problema está em outro ponto: a noção de que o propósito é uma realização pessoal, crendo-se que, quando as condições estiverem favoráveis, a felicidade será alcançada. Darei um exemplo para tornar mais claro o ponto em que desejo chegar. Digamos que uma pessoa crê que seu propósito é ser professor. Ele acredita que, quando for um professor renomado e conhecido, tudo em sua vida terá sentido e significado. Ele crê que, quando atingir sua meta, sua vida será feliz. É um grande engano pensar isso.

Esse engano está na seguinte questão: não importa o que você faça, sempre será permeado de dificuldades, desafios e até mesmo sofrimento. O sofrimento está presente na felicidade. O propósito na verdade é a escolha pelo que vale a pena lutar, pelo que vale a pena sofrer e superar as dificuldades e barreiras. O foco não está em alcançar a profissão, mas sim em beneficiar as pessoas, em ter um propósito pelo qual valha a pena enfrentar barreiras e sofrimentos.

Sofrimento é inseparável da felicidade

Em toda situação de felicidade reside o medo que o momento termine. Se alcançamos algo que nos traga a felicidade, temos de manter esse algo e isso pode se transformar em nossa prisão. É como o exemplo citado do professor. Ele alcança esse status, mas se não tiver alunos, se não tiver uma escola, a frustração o atinge. Entretanto, se seu objetivo for ensinar as pessoas, beneficiar quem precisa do ensino, então essa dificuldade não o limitará. A visão dele não está vinculada ao ser professor, mas ao ensinar. Isso muda tudo. Seu propósito está em beneficiar as pessoas e não em fixar sua identidade.

O verdadeiro motivo do propósito

O propósito é o que nos leva a ver a felicidade na vida, por pior que sejam as situações. A vida é cheia de barreiras e os momentos de alegria são passageiros, bem como os de sofrimento. Se queremos ser felizes, contudo, precisamos significar o sofrimento. Momentos felizes são fáceis de serem vivenciados, mas o sofrimento sem significado algum é algo quase intransponível.

Ao darmos um significado, podemos superar quaisquer barreiras. Muitos exemplos podemos ver na história da humanidade. Gandhi, Marlon e Madre Teresa, por exemplo, são pessoas que dedicaram suas vidas a um propósito maior do que apenas a busca por uma felicidade pessoal.

Aqui citei exemplos de pessoas famosas, mas não precisamos fazer algo tão grandioso. Precisamos apenas ter em nossa mente que o propósito é simplesmente a escolha de quem iremos beneficiar com nossas ações. Isso é sair de nosso eu e olhar para algo que o transcenda. O propósito nos ajuda nos momentos de desafios e nos ajuda a encarar a vida com mais coragem.

Se nosso propósito é apenas alcançar algo que nos deixe realizados, é um propósito que atende a apenas uma pessoa. Mas se ele possui como objetivo auxiliar diversas pessoas ou seres, ele é muito mais poderoso, pois não está limitado a apenas uma pessoa. Esse é um propósito que não está autocentrado, mas que transcendeu.

Compartilhar

Erickson Rosa

+ artigos

Psicólogo clínico laureado pela PUCRS. Atende crianças, jovens e adultos. Palestrante sobre a temática do inconsciente.

site www.coachmatinal.com.br

email [email protected]

celular (51) 99543-3715