por Rita Palhares dos Anjos

Amanhã, talvez...

Primeiro a gente
tem que crescer,
aprender a gostar
eu de mim
você de você.
 
Como um salto
no escuro,
temos que nos levar,
cada um
em sua individualidade,
procurando nos conhecer,
primeiramente
como um ser
forte, capaz, competente
e único.
Desbravarmos
tudo o que somos,
e enxergarmos
a joia rara que vive
em nosso interior.
 
Sim! Apreciarmos
todo o nosso valor,  
antes de ver surgir
o amor.
O verdadeiro amor,
que não escraviza,
não diminui,
não gera tanto sofrimento.
É preciso nos conhecermos,
este é o sentido da vida!
O que a torna colorida,
mágica, encantada...
Buscando lá no fundo
o sentido de tudo,
o desejo real
que nos alimenta,
nos impulsiona
nesta existência.
 
Cada vida tem um sentido,
um porquê a ser decifrado.
Um existir diferenciado
que nos impulsiona
em atos.
A sede de amar
pode se misturar
e confundir sentimentos,
pode gerar tantos tormentos.
 
O amor verdadeiro
só traz felicidade
não vem envolto
em ilusões e incertezas,
tampouco falsidade.
 
A melhor forma
para atrair este amor
é sentir um grande amor
pela alma
que em nós habita,
é sabermos o quanto
ela é bonita,
e não aceitar
nada que a faça
sofrer, se dividir.
Nada que faça
chorar o coração,
porque amor
rima com sabor
de harmonia,
faz a alma cantar,
e a vida vibrar
em profunda sintonia
de paz e expansão! 

Rita Palhares dos Anjos

+ artigos

Bacharel em Filosofia, Locutora Comercial e de Textos de Relaxamento, Meditações, Institucionais. Escritora e Poetisa. Letrista Espiritualista.