Compartilhar

por Equipe Horóscopo Virtual

Mediunidade: Principais sintomas e como desenvolvê-la

Todo mundo já ouviu falar de Allan Kardec, estudador e fundador do espiritismo. Em toda a sua pesquisa, que envolveu muitas nuances da religião, foi ele quem definiu a mediunidade de forma sucinta, porém muito específica e correta. De acordo com ele: “todo aquele que sente em um grau qualquer influência dos espíritos é, por esse fato, médium”

Por conta de Kardec ter conexão direta com o espiritismo, uma doutrina bastante famosa, a maioria das pessoas acredita que a mediunidade só pode ser despertada em indivíduos que fazem parte dessa filosofia de vida. Entretanto, qualquer um pode desenvolver esse tipo de técnica; o que acontece é que as pessoas inseridas nesse meio possuem maior facilidade por serem treinadas para isso. 

Por esse motivo, é normal haver confusão referente à mediunidade e todas as suas características. Para tirar todas as suas dúvidas, o Horóscopo Virtual criou um guia completo. Confira!

Como é a mediunidade de cada signo?

O que é mediunidade? 

A pergunta "o que é mediunidade" pode parecer bastante simples mas, na verdade, é extremamente complexa. Isso porque a sua resposta envolve uma série de fatores, tanto do espiritismo quanto da sensibilidade de cada pessoa. Entretanto, tentaremos tratar desse assunto de maneira explicativa e sucinta! 

De maneira muito resumida, a mediunidade diz respeito à comunicação entre os seres encarnados – ou seja, os seres que estão vivos – e os desencarnados – ou seja, os espíritos . 

É importante lembrar que, mesmo que muitos acreditem que a mediunidade seja algo sobrenatural, ela é alcançada de forma bastante racional. Não se trata de mágica ou fórmulas; é preciso estudar bastante para que, assim, seja possível fazer uma comunicação satisfatória com os espíritos. 

A troca de experiências realizadas entre os encarnados e desencarnados ajuda muito no avanço da humanidade, seja de forma pessoal ou coletiva. Por isso, é importante levar todo esse processo à sério e entender o peso dessa atividade, que deve ser feita de forma responsável e com muito comprometimento.

Como desenvolver a mediunidade? 

Embora todas as pessoas sejam capazes de desenvolver sua mediunidade, existem aquelas que possuem maior predisposição para isso e são mais sensíveis aos mistérios do Universo e a tudo aquilo que os olhos não captam. Sendo assim, é normal que os espíritos sintam isso, e dessa forma, procurem por esses indivíduos para se comunicarem. 

É por esse motivo que muitas pessoas percebem alguns sinais que indicam que eles possuem, de fato, uma capacidade maior de enxergar o mundo de forma diferenciada. Alguns deles são: evitar espaços muito cheios; bocejar muito em ambientes lotados; forte intuição; oferecer bastante confiança aos outros; escutar sons e sentir aromas que não estão presentes; e mais. 

Tudo isso e muito mais acontece porque as pessoas com maior tendência mediúnica são bastante sensíveis, e assim, possuem certas características bem únicas. Por isso, desenvolver essa técnica pode ser algo relativamente trabalhoso e é importante ter o auxílio de especialistas nesse momento para que complicações sejam evitadas. Nesse momento, técnicas como a meditação pode auxiliar nesse processo. Isso porque ela nos ajuda a relaxar, e dessa forma, entramos em um estado mais propício para nos comunicarmos com os desencarnados. 

Além disso, a meditação também libera energias positivas em nosso corpo e facilita nossa habilidade de foco. Assim, essa troca de ideias com os espíritos é feita de forma bastante agradável.

Você é um adulto Índigo?

Os principais tipos de mediunidade 

Poucos sabem, mas a verdade é que existem diversos tipos de mediunidade. O mundo é bastante complexo, e por isso, os espíritos podem se manifestar de diferentes formas, o que muda a maneira em que os médiuns percebem a sua presença. 

É importante, portanto, conhecer essas diferentes categorias para entender como desenvolver a mediunidade e como funciona o trabalho dessas pessoas tão iluminadas. Conheça os principais: 

Mediunidade pictográfica: como o próprio nome diz, esse tipo de mediunidade possui ligação direta com as imagens. Aqui, os médiuns são capazes de captar as mensagens dos espíritos por meio de figuras, esculturas, desenhos, entre outros; 

Vidência: quando falamos de vidência, muitas pessoas já imaginam indivíduos que são capazes de prever o futuro. Entretanto, na mediunidade, aqueles que possuem esse dom só conseguem ver, em sua mente, cenas do presente ou do passado; 

Clarividência: bastante parecido com o anterior, mas, nesse caso, o médium é capaz de obter mais informações sobre o espírito com que está falando. É possível ver, por exemplo, o seu mapa astral ou até mesmo as suas vontades e motivações para tal ato; 

Clariolfativo: já falamos sobre indivíduos que se comunicam com os espíritos por meio das imagens. Aqui, nessa categoria da mediunidade, esse tipo de troca de ideias é feita por meio dos odores, ou seja, o médium é capaz de captar presenças por meio dos cheiros que passam despercebidos às outras pessoas; 

Clariaudiência: nesse caso, apenas o médium é capaz de escutar o que o espírito está falando. Isso pode ocorrer em uma conversa ou até mesmo quando o indivíduo pede direções ou conselhos; 

Incorporação: às vezes, a presença de um espírito é tão forte que ele precisa de um corpo físico para se manifestar. Nesses casos, o médium - que deve ser experiente - cede o seu próprio para que a incorporação possa ser feita; 

Psicografia: provavelmente uma das formas de mediunidade mais famosas. Nesse caso, o médium é capaz de transcrever aquilo que o espírito procura passar às pessoas, muitas vezes até mesmo escrevendo com a própria caligrafia do desencarnado. Diversos livros populares foram escritos dessa maneira.

A mediunidade de cura 

Acima, tratamos de alguns tipo de mediunidade que já são relativamente conhecidos. As suas ideias ao menos são bastante difundidas, mesmo que ainda exista dúvidas sobre o seu funcionamento. Agora, vamos citar uma modalidade que é um pouco esquecida pela população em geral que não possui conhecimento sobre o espiritismo: a mediunidade de cura. 

Nesse tipo de mediunidade, os médiuns são capazes de curar – ou pelo menos aliviar dores – os encarnados por meio dos ensinamentos e perguntas que fazem aos desencarnados. Assim, eles terão conhecimento o suficiente para realizar preces muito benéficas além de também conseguirem oferecer maiores conselhos médicos às pessoas. 

Ao mesmo tempo, a mediunidade da cura é capaz de ampliar a força magnética dos médiuns por meio do poder dos desencarnados. Assim, a pessoa que entra em contato com os espíritos terá a capacidade de, de fato, oferecer maior possibilidade de cura para quem necessitar. Essa atividade, porém, deve ser realizada com cuidado e apenas com médiuns muito experientes.

Os livros da mediunidade 

Tudo o que foi falado sobre a mediunidade até aqui pode ser muito aprofundado por meio de livros que dissertam sobre esse assunto. Entretanto, é importante recorrer à obras que sejam consagradas nesses meio para que, assim, todo o conhecimento adquirido seja, de fato, benéfico. 

Por esse motivo, separamos três livros que são referência nesse assunto e que podem te ajudar a estudar, e quem sabe, desenvolver a sua própria mediunidade. São eles: 

O Livro dos Médiuns, de Allan Kardec: publicado em 1861, essa obra foi a primeira que discutiu a mediunidade e o espiritismo. Por isso, se tornou o guia da religião e dessa atividade, e é considerada bastante importante até os dias de hoje. Isso porque, ela revolucionou a forma com que todo esse estudo era visto, tornando a doutrina espírita em uma ferramenta para compreender os fenômenos considerados sobrenaturais; 

Nos Domínios da Mediunidade, de André Luiz, psicografado por Francisco Cândido Xavier: publicado em 1955, esse livro ficou muito conhecido por todos os espíritas. Por comentar todas as questões referentes à mediunidade, se tornou uma obra bastante importante e um objeto de estudo extremamente popular; 

Mecanismos da Mediunidade, de André Luiz, psicografado por Francisco Cândido Xavier e Waldo Vieira: publicado em 1960, trata sobre diferentes tipos de temas que dizem respeito à mediunidade mas, muitas vezes, são tratados apenas de forma científica e não, também, espiritual.


Leia também: Filmes para conhecer o espiritismo

Compartilhar

Equipe Horóscopo Virtual

+ artigos

Site esotérico completo que reúne conteúdos como astrologia, numerologia, mapa astral, runas, tarot e diversos. Serviço de consulta rápida e prática ao horóscopo diário, semanal, mensal e anual.