por Lilian Evangelista

O poder dos búzios

“Olha, olha nos meus olhos
Tem um sentimento, uma eternidade
Lua, cheia de feitiços
Amei um anjo lindo, que felicidade
Amor você nasceu pra mim
O tarô revelou e os búzios disseram,
Que não tem mistério o nosso amor” 

(Búzios e Taro – Claudinho de Oliveira) 

Sobre a mesa um jogo, pequenas conchas arremessadas 
Coração descompensado pela impaciência da demora da resposta
Enfim a voz se lança sobre o ar e se revela nas palavras que os búzios irão dizer! 

Uma das artes divinatórias mais tradicionais utilizada pelas religiões africanas, o jogo de búzios foi se instalando e ganhando seu espaço em vários países das Américas.

Entre as diversas formas de se jogar, o que mais se conhece é o arremesso de um conjunto de 16 búzios sobre uma mesa, e a maneira como eles caem sobre a mesma é o resultado e a resposta para as perguntas feitas pelo “adivinho”, que antes de pronunciá-las reza antes para os Orixás, conversando com eles e expondo as dúvidas da pessoa que o consulta.

Este “adivinho” no entanto deverá ser uma pessoa com forte espiritualidade, geralmente Mães, Pais ou filhos de Santo, mas estes, somente após sete anos de obrigações, e ensinamentos dados pela Mãe ou Pai de Santo.   
 

 

Existem diversas estórias sobre o jogo de búzios, porém o que é importante saber é de que esta arte divinatória está entrelaçada aos oráculos de Ifá, uma divindade do oráculo que veio ao mundo por ordem de Olorum “Deus” como conselheira de Oxalá na organização da Terra, pois ela se identifica como a Manifestação divina em forma de palavra.

Oxum, uma divindade das águas doces, da fecundidade e do amor era a companheira de Ifá, e os homens sempre lhe pediam conselhos e lhe faziam perguntas, e esta queria possuir o dom de prever o futuro e usar o jogo de búzios, mas este pertencia a Exu. Com a ajuda de feiticeiras que queriam dar uma lição em Exu, ela se utiliza de seu poder de sedução e desafia Exu a descobrir o que tem entre os dedos. Ao se abaixar para ver melhor, fica cego quando sobre seus olhos ela sopra um pó mágico. Enquanto gritava de dor, ele perguntava:

 

“-Eu não enxergo nada, cadê meus búzios?
Oxum,fingindo preocupação respondia:
-Búzios? Quantos são eles?
- Dezesseis, respondia Exu.
-Ah! Achei um! É grande!
-É Okanran, me dê ele.
-Achei outro!
-Sim! É Oveku, me dê ele.
-Achei outro!
-Sim, é Ogunda…”

 

E assim foi, até que ela descobriu todos os segredos dos búzios.

É apenas uma lenda, mas mostra toda a magia e poder que envolve este jogo que encanta e fascina como a beleza de Oxum!

Lilian Evangelista

+ artigos

Escritora de coração. Casada, mãe de dois filhos. Um livro publicado no ano de 2014 "Entre anjos e flores" pela Editora Virtual Ânema. Atualmente escrevo em meu blog pessoal. "Descobri que as palavras são a minha revelação,e permitem que eu seja essa pessoa que se constrói e se desfaz, pois a cada nova palavra, um novo pensamento."