por Erickson Rosa

O poder que o objetivo desenvolve

O que movimenta nossa vida e mantém nossa existência? Parece uma pergunta muito complexa, mas se analisarmos cuidadosamente o que gera nosso movimento perceberemos a energia sutil que nos direciona para as situações.

O que sustenta nossas ações é a energia que depositamos nelas. Funciona mais ou menos assim: você está em casa desanimado porque precisa fazer uma faxina e isso o faz se sentir sem energia e sem vontade, de repente vem alguém e lhe convida para sair. Então, você se enche de energia e começa a se arrumar. Mas de onde vem essa energia? Será que ela vem das coisas ou de dentro de nós? Quando olhamos a foto de um lugar paradisíaco e isso nos desperta emoções positivas, será que a energia está na foto ou em nosso interior?

A energia brota do significado que atribuímos a cada evento e imagem que observamos. Quando definimos um objetivo em nossa vida a energia se direciona para aquele objeto e, então, conseguimos desenvolver a motivação. O objetivo mantém nossa caminhada e quando o perdemos ficamos tristes e deprimidos, pois não temos onde focar nossa energia. Dessa maneira, a energia é o que sustenta nossas ações, nossos objetivos e sonhos.

O foco correto

O que pode ocorrer também é que quando atingimos os objetivos podemos ficar como um barco sem rumo, pois não sabemos onde devemos chegar. Isso acontece com muitas pessoas de sucesso que acabam entrando em estados depressivos e até mesmo destrutivos em alguns casos. 

Podemos também não saber qual é o nosso objetivo e acabarmos por viver o sonho de outras pessoas. Ao não saber onde queremos chegar, ficamos sem rumo e perdidos, e logo nossa energia se esvai. 

Robert Waldinger, diretor de um estudo realizado em Harvard sobre o que faz as pessoas felizes, relata que se conectar com outras pessoas, sentir-se ligado em relações positivas, permite que seu cérebro e seu corpo se mantenham saudáveis por mais tempo. 

Nessa perspectiva, podemos dizer que o nosso objetivo seria gerar benefícios às pessoas e aos seres, de modo a contribuir positivamente para elas, fazendo com que nossos relacionamentos prosperem e nos permitam sermos mais felizes. Em suma, nossas conexões são geradas por meio do ato compassivo que temos com os seres.

O objetivo gera em nós um senso de propósito e conseguimos manter nossa vida por meio da energia que o senso de propósito gera. Se esse senso está ligado a gerar resultados e benefícios às pessoas, então maior será nossa motivação e felicidade. Quando auxiliamos os outros, geramos uma poderosa energia de felicidade em nosso interior e sentimos um senso de utilidade, entretanto há pessoas que perderam essa capacidade e acreditam que não têm nada a oferecer. Elas se esqueceram de que têm um sorriso, um ombro amigo e um olhar afável e que tais atitudes podem ajudar o outro a superar muitas dificuldades e obstáculos. 

Se você não sabe qual é o seu objetivo, uma boa forma de começar é pensar em como beneficiar as pessoas. De que maneira você pode contribuir com elas? Isso com certeza gerará mais motivação, nada é mais gratificante do que auxiliar o próximo. Se duvida, experimente.

Erickson Rosa

+ artigos

Terapeuta holístico, Mestre Reikiano e formado em psicoterapia holística. Fundador do Coach Matinal e autor do e-book Ansiedade Sem Remédios. Ministra cursos e eventos com temas como a motivação, psicossomática, fisiognomonia e meditação.